No Centro

Avenida amanhece coberta de documentos de investigações da Polícia Federal

Documentos estavam espalhados por cerca de 300 metros da Ernesto Geisel

 

05/12/2018 09h50 Por: Redação

 
(Valdenir Rezende/Correio do Estado) (Valdenir Rezende/Correio do Estado)

A avenida Ernesto Geisel, próximo ao cruzamento da avenida Fernando Corrêa da Costa amanheceu coberta com centenas de papéis abandonados. Estes papéis são documentos de investigações da antigas da Polícia Federal.

Agentes estiveram no local na manhã desta quarta-feira (5) para investigar e recolher os documentos. Eles também estavam lá para coletar provas e rastrear a origem dos papéis. A partir daí a Polícia Federal poderá determinar a origem da documentação, com quem estava e saber o motivo do descarte.

Entre os papéis, está a cópia da investigação feita pela Polícia Federal durante a Operação Quijarro, em 2010, contra o tráfico de cocaína na fronteira de Mato Grosso do Sul com a Bolívia.

O inquérito, agora jogado na rua, detalha interceptações telefônicas e os nomes dos envolvidos no esquema, que entravam com a droga por Corumbá e Ladário, passava por Campo Grande e depois transportada para Balneário Camboriú, Navegantes e Itajaí. A carga era escondida em vans de turismo e até no corpo de "mulas".

Além desta investigação, há desde inquéritos policiais, laudos, depoimento de testemunhas, auto de prisão e flagrante, tudo referente a alguma investigação. Há papéis timbrados do Governo do Estado, Grupo Especializado de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) - do Ministério Público do Estado (MPMS) -, Polícia Federal de Corumbá.

As folhas estão espalhadas nos dois lados da via e não é possível identificar se é da Justiça Federal, Estadual, ou mesmo de outro órgão de segurança.

Há informações de que outras folhas foram deixadas na Avenida Campestre, no Bairro Aero Rancho, aproximadamente 9 quilômetros do Horto Florestal onde foram encontrados os primeiros documentos.

Envie seu Comentário