Emprego

Mato Grosso do Sul tem a terceira menor taxa de desocupação do Brasil

Governo garantiu a vinda de 66 indústrias

 

16/11/2018 10h03
Por: Redação

 

Mato Grosso do Sul está entre os estados com menor índice de pessoas sem trabalho. Enquanto a taxa de desocupação foi de 11,9% no Brasil, em Mato Grosso do Sul o índice foi de apenas 7,2% no terceiro trimestre (julho, agosto e setembro).

Foi a terceira menor taxa de desocupação do País, atrás apenas de Santa Catarina (6,2%) e Mato Grosso (6,7%). O pior desempenho foi do Amapá, com 18,3% de desocupação. Os números constam na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD Contínua), divulgada nesta quarta-feira (14.11) pelo IBGE.

O rendimento mensal dos trabalhadores também aumentou no Estado passando de R$ 2.747, em igual período de 2017, para R$ 2.989, uma variação de 8,8% ou R$ 242. O valor está bem acima da média da remuneração nacional que ficou em R$ 2.769.

Nos últimos 3 anos e 10 meses, o Governo do Estado garantiu a vinda de 66 indústrias para Mato Grosso do Sul e fez a revisão de 1.200 contratos, garantindo a abertura de 12.500 empregos nos próximos anos.

O governador Reinaldo Azambuja explica que o Estado troca impostos por empregos. "Nossa política de geração de empregos está caminhando a passos largos. Implementamos a política de trocar tributos por empregos. Abrimos mão de impostos e normatizamos toda a parte de incentivos fiscais, igualando as cadeias produtivas".

Capital

Em Campo Grande, a taxa de desocupação também caiu nos meses de julho, agosto e setembro, conforme a PNAD Contínua, passando de 6,6% para 6,3% em relação ao trimestre anterior (abril, maio e junho). Na comparação com o mesmo período do ano passado, quando o índice era de 8,4%, a queda foi de 2,1 pontos percentuais. O rendimento dos trabalhadores também aumentou, passando de R$ 2.583 no terceiro trimestre de 2017 para R$ 2.769.

Envie seu Comentário