Campo Grande

Autor da morte de motorista de aplicativo é preso pela Polícia Civil

O suspeito de matar o motorista com dois tiros, estava foragido há três dias.

 

16/05/2019 12h00
Por: Redação

 
Igor Cesar de Oliveira, suspeito do crime . Polícia Civil/Divulgação Igor Cesar de Oliveira, suspeito do crime . Polícia Civil/Divulgação

O suspeito Igor Cesar de Oliveira, de 22 anos, do homicídio do motorista de aplicativo Rafael Baron, 24 anos, morto com dois disparos de arma de fogo, foi preso nesta quinta-feira (16), pela Polícia Civil. Ele estava foragido há três dias e havia mandado de prisão prenventiva.

O anúncio da prisão foi dado pelo delegado Ricardo Meirelles Bernardinelli, responsável pelas investigações. Após um acordo, Igor se entregou no escritório dos advogados localizado na região central da cidade, nesta manhã.

A hipótese de latrocínio foi descartada, segundo o delegado, Igor falou em seu depoimento que ‘perdeu a cabeça’, depois de achar inapropriado a postura e comportamento da vítima durante conversa com a sua esposa.

A vítima teria dito "Este friozinho está bom para fazer um amor gostosinho", quando teria perdido a cabeça e assassinado o motorista com dois disparos. A arma, um revólver calibre 38 só tinha duas munições, no momento do crime.

"Enquanto a mulher fazia o pagamento da corrida, o Igor saiu rapidamente do veículo, pulou a janela do apartamento e já retornou com a arma de fogo, acreditamos que seja um revolver calibre 38 e, sem dar nenhum tipo de chance para a vítima, efetuou dois disparos à queima roupa", afirmou o delegado.

Com anúncio da prisão, aproximadamente 30 motoristas de aplicativos foram para a delegacia onde está preso Igor. Eles disseram que estão aliviados com a prisão do suspeito e cobram justiça no caso.

O crime

Rafael foi atingido por dois tiros. Segundo apurado inicialmente pela polícia, o jovem recebeu uma chamada para buscar um passageiro no condomínio e, ao chegar no local, o pedido foi cancelado. Em seguida, ele foi abordado por um homem e morto.

A informação inicial era de que Rafael teria reagido a um assalto e acelerado o carro. Ele foi atingido por um tiro no pescoço, outro no braço esquerdo e bateu o veículo em outros dois automóveis e uma moto que estavam estacionados.

O Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) foram chamados, mas, o jovem morreu no local. O carro dele saiu fumaça na parte do motor e moradores do condomínio tentaram ajudar.

Envie seu Comentário