Nesta segunda
Publicado em 16/04/2018 07h13

Bioma Pantanal e extração do Gás de Xisto em debate na ALMS


Da redação

A Assembleia Legislativa do Estado discute em audiência pública, na próxima segunda-feira (16), às 9 horas, o projeto de lei que trata da Política de Gestão e Proteção do Bioma do Pantanal, e às 13h30, serão debatidos os Impactos na Extração do Gás de Xisto no MS, por proposição do deputado Amarildo Cruz (PT), 2º secretário da Casa de Leis.

O evento é uma iniciativa do senador Pedro Chaves (PRB-MS), por intermédio do presidente da Casa de Leis, Junior Mochi (PMDB), e do deputado Beto Pereira (PSDB), vice-presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Casa de Leis.

Foram convidadas autoridades e técnicos ligados ao meio ambiente para participar do evento. A proposta de Chaves tramita na Comissão de Meio Ambiente do Senado desde o último dia 3 de março.

No mesmo dia, às 13h30, serão debatidos os Impactos na Extração do Gás de Xisto no MS, por proposição do deputado Amarildo Cruz (PT).

"Estamos trabalhando na realização deste evento há mais de 4 meses e percebemos que esta questão é pouco discutida e conhecida no Estado. É necessário um aprofundamento sobre o assunto pois ele é extremamente relevante para o Estado, já que a nossa economia é baseada no uso do solo e dos recursos hídricos", ressaltou Amarildo.

Amarildo Cruz também comentou sobre o Projeto de Lei 3/2018, de sua autoria, que suspende a exploração do Xisto no Estado por dez anos. "Sem conhecermos profundamente o assunto e outras técnicas para a extração do gás de Xisto, a suspensão evita o impacto ambiental, já que a extração é feita por faturamento hidráulico em rochas, uma técnica que pode trazer danos gravíssimos. Foi feito um leilão de áreas pela Petrobras, empresa que constatou a existência do Xisto no Estado, para começar a exploração, e a região inicial é a Bacia do Paraná, que abrange 17 municípios, inclusive Campo Grande", informou.

O 2º secretário da Casa de Leis fez um apelo à sociedade e aos parlamentares. "Peço que os deputados conheçam sobre o assunto, participem da audiência pública, e também toda população sul-mato-grossense. Todos devem tomar conhecimento disso, pois a exploração do Xisto pode atingir vários municípios. O estado de São Paulo já conseguiu impedir a exploração por liminar do Ministério Público Federal (MPF) e a Assembleia Legislativa do Paraná aprovou lei semelhante ao meu projeto, que foi sancionada pelo governador", considerou Amarildo.

component obsolete or component error