Dourados

Câmara arquiva denúncia contra vereador acusado por quebra de decoro parlamentar

O vereador de Dourados é um dos denunciados no âmbito da Operação Cifra Negra.

 

16/05/2019 06h19
Por: Redação

 
Gizele Almeida/Ddos News Gizele Almeida/Ddos News

Foi arquivada a denúncia por quebra de decoro parlamentar contra o vereador Cirilo Ramão, o Pastor Cirilo (MDB), um dos denunciados no âmbito da Operação Cifra Negra.

A sessão de ontem (15) começou às 17he terminou por volta de 21h40. Após a leitura da denúncia, feita no dia 4 de fevereiro pelo farmacêutico Racib Panage Harb, seguido pelo relatório da comissão processante e das alegações finais da defesa, o advogado Fernando Baraúna Recalde, que defende Cirilo, falou por uma hora e meia, onde desqualificou a denúncia do Ministério Público de Mato Grosso do Sul, disse que não existem provas do suposto envolvimento de Cirilo com o esquema de corrupção.

Doze vereadores votaram pela perda dos direitos políticos do parlamentar e seis acompanharam o relatório, pedindo o arquivamento do processo. Para a perda perda de mandato seriam necessários 13 votos. O vereador mesmo sendo absolvido, não poderá retomar o cargo de imediato, já que o afastamento ocorreu por determinação judicial.

O voto decisivo para salvar o mandato de Cirilo foi do vereador Mauricio Lemes Soares (PSB). Além dele, votaram contra a cassação Juarez de Oliveira (MDB), Janio Miguel (PR), Junior Rodrigues (PR), Alberto Alves dos Santos, o Bebeto (PR) e Carlito do Gás (Patriota).

Para hoje (16) às 12 horas, a Casa realiza outro julgamento, desta vez, podendo cassar o mandato de Pedro Pepa (DEM), que assim como Cirilo, foi preso no dia 5 de dezembro do ano passado dentro da Operação Cifra Negra.

Além dele, também é acusado o vereador Idenor Machado (PSDB), mas a comissão processante contra ele ainda não entregou o relatório final. O prazo termina no dia 19 deste mês.

Envie seu Comentário