Na Capital

Dupla armada de fuzil e submetralhadora morrem em confronto com Choque

 

10/11/2019 08h33
Por: Redação

 
Armas e munições apreendidas com a dupla no Polo. Divulgação/Choque Armas e munições apreendidas com a dupla no Polo. Divulgação/Choque

Dois homens morreram em confronto com o Batalhão de Choque da Polícia Militar, na madrugada deste domingo (10), no macro anel de Campo Grande. Eles são suspeitos de integrarem uma quadrilha que estava comentendo roubos na Capital. Com eles foram apreendidos uma submetralhadora e um fuzil.

Segundo registro policial, os policiais realizavam patrulhamento no anel viário que liga as saídas de Sidrolândia e Aquidauana, quando visualizaram um Volkswagen Polo preto, semelhante ao veículo utilizado por uma quadrilha para cometer assaltos em Campo Grande, dentre eles, em uma conveniência, na noite do dia 25 de outubro, inclusive com registro de imagens por circuito de filmagens dos estabelecimentos comerciais. Os criminosos usavam chapéus para cobrir os rostos.

Um segundo roubo foi registrado no dia seguinte, em um mercado do Jardim Inápolis. Testemunhas contaram a polícia, que após sair do mercado, os três bandidos entraram em um Polo preto, e fugiram.

Ao chegar próximo da rotatória de acesso ao Indubrasil, os policiais deram ordem de parada, mas o motorista não acatou e passou a empreender fuga, sentido a saída de Rochedo.

Durante o trajeto, o passageiro do carro começou a realizar disparos de arma de fogo contra a equipe policial, de dentro do carro, momento que o comparsa acabou perdendo o controle do veículo e veio a bater contra meio fio da rodovia.

A dupla saiu do carro, cada um se posicionando em lado opostos da margem da estrada, iniciando um confronto armado com os policiais, onde acabou os criminosos sendo alvejados e socorridos com vida para a Santa Casa.

Durante atendimento médico, ambos, acabaram não resistindo aos ferimentos e vieram a óbito. Eles foram identificados como sendo Dilermando Cesar Ferreira de Almeida, 24 anos, e Valdecir Valchak, 31.

Com eles foram apreendidos uma submetralhadora UZI de calibre 9mm e uma carabina M1 de calibre .30.

No carro ainda foram encontrados diversas munições de calibres distintos, um colete balístico, três carregadores, sendo um para a submetralhadora, outro para a carabina e um terceiro para pistola calibre 7,65.

Também foi localizado um chapeu de palha, dois bones escuros, uma gandola camuflada, semelhantes ao que os integrantes utilizavam nos assaltos.

Além das armas , chapéus e roupas, foi localizado um papel no painel que constava dois endereços, sendo um Rua Velia Berti de Souza, Portal Caiobá e outro Arlindo Sampaio Jorge, no Parque dos Novos Estados.

No primeiro endereço, não localizado nenhuma pessoa, mas foi constatado pelo sistema de registro de ocorrências, que naquela casa havia registro de um morador, atualmente foragido do sistema prisional.

Já na segunda casa apontada, um homem de 38 anos, foi encontrado.

Questionado, ele disse que conhecia a dupla que morreu no confronto com os policiais e que era responsável pela guarda dos armamentos. Segundo ele, os comparsas haviam passado horas antes, no sábado (9), para retirada das armas.

Ele ainda acabou informando que os donos das armas seria um homem que estava cumprindo pena no Presídio de Segurança Máxima da Capital.

Na casa do suspeito foram apreendidos R$ 4.343,00, onde o homem não conseguiu informar qual seria a procedência do dinheiro.

O caso foi registrado na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do Centro.

Envie seu Comentário