Eles vão atuar nos estabelecimentos penais de Três Lagoas e Bataguassu

Com foco no aperfeiçoamento funcional e evolução da carreira penitenciária em Mato Grosso do Sul, a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) concluiu mais um Curso de Armamento e Tiro, Vigilância e Escolta (CAVE), com a qualificação de 34 policiais penais lotados em unidades prisionais de Três Lagoas e Bataguassu.

Policiais penais concluem capacitação em vigilância e escolta armada

Realizada na cidade de Três Lagoas, a qualificação é um exemplo de como a instituição está buscando levar capacitação em atribuições inerentes à Polícia Penal, instituída em nível federal com a transformação da função de agente penitenciário e em fase de regulamentação no Estado, segundo destacou o diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, durante a solenidade de encerramento da 4ª edição do curso, ocorrido ontem (23).

Policiais penais concluem capacitação em vigilância e escolta armada

“Nossa intenção é qualificar todos os servidores, e, por isso estamos providenciando capacitações regionalizadas, não só na capital”, reforçou o dirigente, informando que o próximo curso será no início de novembro na cidade de Naviraí.

Para o diretor-presidente, o empenho dos servidores em se capacitar e da instituição em oferecer cursos, demonstram compromisso e profissionalismo. “Se quisermos ter uma instituição forte temos que demonstrar que temos trabalho, responsabilidade e que somos qualificados para isso”, disse. “Quanto mais qualificado nosso trabalho mais seremos valorizados”.

Sob coordenação da Escola Penitenciária, o curso foi ministrado por instrutores que compõem o Comando de Operações Penitenciárias (Cope) da Agepen.

Com carga horária de 40 horas, as aulas se dividiram em atividades teóricas e práticas que capacitam os servidores a manusear, bem como, entender o mecanismo, tipos, classificação e o funcionamento das armas de fogo; aplicar e entender as regras de segurança e a legislação; fundamentos e posições de tiro policial e tipos de munições.

Policiais penais concluem capacitação em vigilância e escolta armada

Durante as aulas, os alunos também foram capacitados a conhecer os funcionamentos e filosofia da escolta a pé e embarcado, entender o posicionamento e função de cada membro da equipe na escolta, estabelecer critérios de vigilância e segurança nas muralhas das unidades prisionais, bem como os aspectos éticos e legais inerentes tanto à escolta prisional quanto à vigilância de muralhas.

Diretor da Penitenciária de Segurança Média de Três Lagoas, Raul Ramalho, foi um dos concluintes do curso e reforçou a qualidade das instruções oferecidas e qualificação técnica dos instrutores. “É um momento ímpar para a Agepen, sendo a primeira vez que fez um curso dessa magnitude no interior”, pontuou.

A policial penal Simone de Carvalho Costa, do Estabelecimento Penal de Bataguassu, também elogiou a qualificação como uma forma de aprimoramento e de reforçar a segurança no trabalho. “Achei um curso maravilhoso , tudo foi ensinado com muita boa vontade e persistência”, agradeceu.

Para a realização do curso em Três Lagoas, a Agepen contou com o apoio do Departamento Penitenciário Nacional, por meio da Penitenciária Federal de Campo Grande, Clube de Tiro de Três Lagoas, Corpo de Bombeiros Militar e Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Assistência Social.

A solenidade de encerramento contou também com a presença do chefe de Gabinete da Agepen, Valdimir Ayala Castro, do diretor da Escola Penitenciária, Vilson Guedes e do Comandante do COPE, João Bosco Correia, além de diretores de unidades prisionais de Três Lagoas, Bataguassu e Naviraí.

Comentários