Lucia Martins Coelho

Governo vistoria obra de escola que conta a história de gerações

Reforma moderniza a Escola Lucia Martins Coelho e preserva a história

 

09/11/2019 06h22
Por: Redação

 
Edemir Rodrigues Edemir Rodrigues

Em quase 50 anos de existência, a Escola Estadual Lucia Martins Coelho passa pela sua primeira grande reforma. Fundada em 1971, a instituição tem grande importância na história de Mato Grosso do Sul, e para as centenas de gerações que já passaram pela unidade de ensino.

Durante vistoria as obras, o secretário especial do Governo do Estado, Carlos Alberto de Assis destacou a qualidade do ensino no Estado e os investimentos aplicados na modernização das escolas da rede estadual. "Quando um governo investe em educação, ele avança não só na parte estrutural, mas em tudo que a instituição representa para as gerações que já passaram por lá, e as que ainda irão passar. Reformar a Escola Lucia Martins Coelho é preservar a história da nossa Capital", pontuou.

Ao todo estão sendo investidos R$ 2,922 milhões, sendo R$ 2,133 milhões de recursos próprios do Governo do Estado, e R$ 789 mil do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Além da estrutura para acessibilidade, o local irá receber projeto de segurança contra incêndio e pânico, impermeabilização, instalação elétrica e hidráulica, reforma do auditório, troca de piso e pintura geral. A reforma moderniza a escola, mas mantém a estrutura da unidade que é protegida pela Zona Especial de Interesse Cultural do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental (PDDUA).

Histórias

Neta de Lucia Martins Coelho, a artista plástica Lucia Martins Coelho Barbosa, a Lucinha, carrega o mesmo nome da avó, e relata com muito orgulho o carinho que nutre pelo local, palco de tantas histórias, e que para ela traz a memória afetiva da matriarca da família. "Minha avó era uma mulher apaixonada pela educação. Aprendeu a ler e escrever com o marido, e foi uma das maiores incentivadoras do estudo para os filhos e netos. Na época, mantinha uma escola na fazenda para alfabetizar as crianças que moravam lá". Recentemente ela lançou o livro "Lucinha e sua vó Lúcia", com as histórias que ouvia na infância, e alguns exemplares foram entregues para a direção da escola.

Entre os incontáveis alunos que estudaram na unidade, o servidor público e jornalista Joel Silva, relata que o fato da escola estar no meio do trajeto que faz até o trabalho, traz a cada dia uma memória diferente. As lembranças se relacionam a professores que influenciavam no caráter dos alunos, a colegas que se tornaram amigos, da quadra de esportes onde foi "goleiro de interclasse", e até da casa do ex-prefeito Lúdio Coelho, que morava em frente à escola. "Lembro dele descendo a pé para a prefeitura", recorda.

"Fiquei muito feliz quando vi a reforma que o Governo do Estado tem feito, principalmente por ser a primeira reforma estrutural, de estrutura mesmo, não só maquiagem de pintar só, é uma reforma estrutural na quadra, no todo da escola. Ver resgatada essa escola será muito legal, estou ansioso para ver como é que vai ficar", afirma.

Referência

Tradicional e histórica, a EE Lúcia Martins Coelho, que fica na rua Bahia, entre a rua da Paz e Euclides da Cunha no Jardim dos Estados, oferta desde 2017 o Ensino Médio em Tempo Integral e faz parte do Programa Escola da Autoria, com cerca de 470 estudantes matriculados em 2019, para turmas de 1º, 2º e 3º ano.

O trabalho desenvolvido na unidade de ensino, rendeu nota de 5,4 no último resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), publicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que tinha a média 3,6 como referência para avaliar a Rede Estadual no Ensino Médio.

Envie seu Comentário