Violência
Publicado em 30/10/2017 14h45

Campo Grande está entre 14 capitais que tiveram alta nos assassinatos

O levantamento considera, também, os homicídios causadas por militares, registradas como mortes decorrentes de intervenção policial


 
No ano passado foram 146 mortes violentas, ou seja, 12% a mais se comparado com o mesmo período de 2015 (Foto: arquivo/Campo Grande News)
No ano passado foram 146 mortes violentas, ou seja, 12% a mais se comparado com o mesmo período de 2015 (Foto: arquivo/Campo Grande News)

Dados divulgados hoje mostram que Campo Grande está entre as 14 capitais que tiveram crescimento na taxa de assassinatos, passando de 15,2 casos a cada 100 mil habitantes para 16,9. Os números de 2015 e 2016 foram apresentados no 11º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, tornados públicos nesta segunda-feira (30) pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

No ano passado foram 146 mortes violentas, ou seja, 12% a mais se comparado com o mesmo período de 2015, quando foram registrados 130 casos. Já em Mato Grosso do sul, foram 560 mortes violentas, quatro casos a mais que em 2015. O levantamento considera, também, os homicídios causadas por militares, registrados como mortes decorrentes de intervenção policial.

Ontem, por exemplo, foram registrados dois assassinatos na capital sul-mato-grossense. João Lucas da Silva Barbosa, 24 anos, conhecido como "Juquinha", foi esfaqueado nas costas, na rua Europa, na Vila Jacy. Ele foi socorrido, mas horas depois morreu no hospital. Até no começo desta manhã, o suspeito ainda não havia sido identificado.

Pouco tempo depois, Josenildo Guimarães Fernandes, 44 anos, foi morto a tiros, próximo a um bar na Rua Afonso Celso, no Jardim Los Angeles. O principal suspeito de cometer o crime é Maurício da Fonseca de Araújo, conhecido como "Nenê do Los Angeles", 23 anos, acusado de participar no assassinato do filho de Josenildo, há 5 anos.

Também foram registradas mortes entre facções criminosas. Desde o começou do ano, quatro pessoas foram decapitadas e ou tiveram a morte filmada depois de passarem pelo tribunal do crime do PCC (Primeiro Comando da Capital)

Violência - O Brasil teve 7 pessoas assassinadas por hora em 2016. Foram 61.619 mortes intencionais, maior número já registrado na País. Sergipe apresentou a maior taxa de homicídios com 64,0 casos por 100 mil habitantes, seguido de Rio Grande do Sul com 56,9. O terceiro lugar ficou com Alagoas como 55,9.

No ano passado, em números absolutos, o Rio de Janeiro foi a cidade com maior índice de homicídios doloso (1.330), seguido de Salvador (1.289) e Fortaleza (965). Já vítima de latrocínio – roubo seguido de morte, foram 2.703 casos. Em Mato Grosso do Sul, foram contabilizados 41 crimes desta natureza, 13% a mais que em 2015.

***CG News

component obsolete or component error