24 C
Campo Grande
terça-feira, 25 de junho, 2024
spot_img

A “Justa Raiva” e a necessidade de cursar uma Pós-Graduação

A “justa raiva” de Paulo Freire sugere uma indignação construtiva diante das injustiças

A “Justa Raiva” e a necessidade de cursar uma Pós-Graduação

(*)Maurício Lopes da Cunha

A importância de cursar uma pós-graduação está relacionada a uma série de fatores que contribuem para o desenvolvimento pessoal, profissional e para a promoção de uma sociedade mais justa

Tal importância pode ser associada ao conceito de “justa raiva” de Paulo Freire, pois, a busca por uma educação de qualidade, aprimoramento profissional e a consciência crítica são elementos essenciais para a promoção da justiça social.

Neste sentido, uma pós-graduação pode oferecer oportunidades aos alunos em termos de desenvolvimento profissional, ao adquirir conhecimentos mais avançados e especializados em uma determinada área. Capacitando os indivíduos a desempenharem papéis mais eficazes em suas profissões, o que, por sua vez, contribui para o desenvolvimento da sociedade como um todo.

A educação de nível superior, como uma pós-graduação, pode abrir portas para oportunidades de carreira mais elevadas e mais bem remuneradas. Isso ajuda a reduzir desigualdades econômicas, permitindo que indivíduos tenham acesso a empregos de maior qualidade e maior estabilidade financeira.

Uma pós-graduação geralmente envolve um aprofundamento no pensamento crítico e na pesquisa. Incentivando os estudantes a questionar, analisar e avaliar informações de maneira mais profunda. A capacidade de pensar criticamente é essencial para a promoção da justiça social, uma vez que permite identificar e enfrentar injustiças e desigualdades.

A “justa raiva” de Paulo Freire sugere uma indignação construtiva diante das injustiças. Uma educação avançada, como a obtida em uma pós-graduação, pode capacitar indivíduos a se tornarem agentes de mudança e a liderar esforços em prol da justiça social. Profissionais que venham a desempenhar papéis de liderança em organizações, movimentos sociais e governos, podem advogar por políticas e práticas mais justas.

A pesquisa e a inovação que frequentemente surgem de programas de pós-graduação podem levar a avanços em diversas áreas, como finanças, medicina, tecnologia, educação e meio ambiente. Esses avanços podem melhorar a qualidade de vida de muitas pessoas e contribuir para uma sociedade mais justa e igualitária.

A educação de nível superior muitas vezes expõe os estudantes a diferentes culturas, pontos de vista e realidades. Podendo ajudar a promover a empatia e a compreensão entre as pessoas, fundamentais para a construção de uma sociedade mais inclusiva e justa.

Sendo assim, uma pós-graduação pode desempenhar um papel significativo na promoção da justiça social, uma vez que contribui para o desenvolvimento profissional, o pensamento crítico, a consciência social, o engajamento cívico e a capacidade de contribuir para a resolução de problemas sociais.

Essa busca por conhecimento e ação é compatível com o espírito da “justa raiva” de Paulo Freire, que defendia a educação como uma ferramenta para a transformação social e a superação das injustiças.

(*) Maurício Lopes da Cunha possui mestrado em Ciências Contábeis pela Fundação Escola de Comércio Alvares Penteado (FECAP).

Fale com a Redação