AGRO

A moderna agricultura brasileira: mudanças e novas oportunidades

 

09/05/2020 08h44
Por: Fernando Mendes Lamas

 

Os conhecimentos gerados pela pesquisa agropecuária, a capacidade empreendedora dos agricultores e a rede de assistência técnica, tem levado a significativas mudanças na agricultura brasileira. Para os consumidores pode se destacar como maiores mudanças nesse cenário: maior oferta de alimentos, fibra e energia; maior regularidade da oferta e melhoria da qualidade dos produtos oriundos da agricultura. Para os agricultores, as mudanças em curso estão proporcionando diversificação da produção, enquanto antes se cultivava apenas soja, hoje o cultivo ocorre associado ao cultivo de outras culturas tais como milho, algodão e pastagens. Ou seja, está havendo modificações nos modelos de produção e novas oportunidades de geração de renda.

E as modificações dos modelos exigiram a utilização de máquinas e implementos mais modernos. A mecanização da agricultura talvez tenha sido uma das maiores transformações e seus efeitos estão sendo espetaculares. Com as modernas máquinas tornou-se possível semear num menor intervalo de tempo uma área significativamente maior, e o que é mais importante, a qualidade dos trabalhos melhoraram muito, tendo como resultados ganhos de produtividade e melhoria de qualidade de vida.

A moderna agricultura exige um grau de profissionalismo muito grande por parte do agricultor. Algumas habilidades são fundamentais, dentre as quais podem ser destacadas: capacidade de planejar e de tomar decisões. O agricultor precisa estar muito bem informado sobre mercado para que possa decidir com segurança o que e quanto plantar; conhecer muito bem sobre as tecnologias disponíveis para que possa obter boas produtividades com custos compatíveis com o mercado. Para isso, é indispensável que o agricultor seja muito bem assessorado por profissional que possa lhe prestar as informações necessárias para a sustentabilidade do seu negócio.

Quando se cultivava apenas soja, as pragas se restringiam a essa cultura. Com a diversificação do cultivo (soja, milho, algodão, feijão, girassol, etc), há uma série de pragas e doenças que ocorrem em vários cultivos, ou seja, não são mais específicas de determinada cultura. O cultivo de mais de uma espécie e sua integração com a pecuária, por exemplo, é uma das estratégias mais adequadas para ter a sustentabilidade assegurada. Desta forma, o agricultor precisa combinar os cultivos de tal forma a se obter os efeitos positivos desta combinação. Em muitas das situações, a integração lavoura-pecuária é uma alternativa viável para assegurar a lucratividade do sistema de produção. Assim, intensificar e integrar passou a ser uma exigência para que o negócio seja efetivamente sustentável (duradouro). Em síntese, não é mais possível pensar apenas no cultivo de uma determinada espécie, a visão de sistema passa ser imperiosa sob todos os aspectos.

Dentro do contexto de modernização da agricultura há de se pensar também na agricultura irrigada. Em algumas regiões brasileiras, esse modelo vem proporcionando grandes avanços, especialmente sobre o ponto de vista quantitativo. Em muitas situações, sem desconsiderar outros fatores de produção, a irrigação, é a alternativa mais viável para melhorar o desempenho da agricultura, possibilitando o cultivo de várias espécies durante o ano e para eliminação ou redução da sazonalidade de oferta de determinados produtos.

Muitas vezes uma determinada decisão é tomada sem a devida fundamentação. Isto não é mais possível. A agricultura digital já é uma realidade e, com certeza, trará grandes benefícios tanto em termos de ganhos de produtividade como em redução de custos. No entanto, é preciso um bom entendimento sobre o que é agricultura digital, pois, talvez até mais importante do que um sensor para coletar os dados é a interpretação dos dados, Uma vez adequadamente interpretados os dados se constituem em informações que subsidiarão as tomadas de decisão. Dada a gama de oportunidades para melhoria da produtividade da agricultura, não dá para pensar numa agricultura sustentável, sem o uso da agricultura digital. No entanto, é preciso planejar muito bem o uso desta nova ferramenta. Em resumo, a modernização é algo irreversível, e, mais do que isso, uma necessidade. Utilizando-se os conhecimentos disponíveis, é possível melhorar a oferta de alimentos, fibra e energia, assim como a sustentabilidade da agricultura brasileira.

Fernando Mendes Lamas - Pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste

Envie seu Comentário