29.8 C
Campo Grande
sexta-feira, 23 de fevereiro, 2024
spot_img

Além da folia: Carnaval movimenta a economia e impulsiona a geração de renda também em Campo Grande

Que o Carnaval é a festa preferida dos brasileiros, isto não há dúvida. Somos conhecidos como o país do samba, e mesmo em cidades como Campo Grande, que o Carnaval não é tão tradicional, por parte de população ‘pacata’, a festa é uma grande folia para outra boa parte, e, faz a roda da economia girar. Afinal são vários dias de folia, que inclusive, já começaram no fim de semana passado da Capital e reiniciam nesta quinta-feira (8), com bloco na rua do centro.

No último fim de semana, milhares de pessoas se reuniram na Rua Barão do Rio Branco e na Praça Aquidauana, para a primeira etapa das celebrações. Os blocos As Depravadas, Calcinha Molhada e Farofa com Dendê comandaram a festa, recepctivamente na manhã e tarde do sábado e tarde/noite do domingo (4). Nesta quinta-feira, 8 de fevereiro, os foliões voltam a ganhar as ruas para mais seis dias de muita alegria.

“Com o maior carnaval de blocos independentes de rua do estado, Campo Grande deve contar com a participação de pelo menos 15 blocos que ganharão as ruas da Capital. Já está sendo uma festa linda para os campo-grandenses se divertirem e aproveitarem as atrações”, aponta a secretária Municipal de Cultura e Turismo, Mara Bethânia Gurgel.

A titular da Sectur, aponta que a Capital tem e consolida seu Carnaval de rua, inciado a 15 anos pelo Cordão da Valú. Assim, ela conta que a expectativa é que cerca de 100 mil pessoas participem das atividades ao longo de toda a festa oficial, que se abre hoje e segue até a próxima terça-feira (13) ‘de carnaval’.

A economia local em movimento e gerando renda

Além da folia: Carnaval movimenta a economia e impulsiona a geração de renda também em Campo Grande

O volume de gente/foliões nas ruas gera consumo e faz a economia local entrar em maior ou mais movimento e gerar renda maior antes, durante ou depois da folia, em até nova-extra renda a quem se propõe a trabalhar festejando.

Assim, com tanta gente na rua, bares, restaurantes, hotéis, postos de gasolina, serviços de transporte e mesmo pequenos empreendedores também se preparam para vender mais.

O secretário municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio, Adelaido Vila, ressalta os dados. “Não podemos esquecer que o Carnaval é também uma festa gastronômica. Bares, restaurantes e supermercados se preparam para um aumento significativo na demanda por alimentos e bebidas. Bebidas geladas, petiscos prontos para consumo e produtos para churrascos em família ou entre amigos são alguns dos itens mais procurados durante esse período”, pontua

Outro setor que também fica bastante movimentado durante o período carnavalesco é o de fantasias e adereços. Lojas especializadas em artigos para festas e fantasias se destacam ao oferecer uma variedade de opções para foliões de todas as idades. Desde as clássicas fantasias de super-heróis até as mais criativas e inusitadas.

Carnaval brasileiro movimenta 9 bilhões

Além da folia: Carnaval movimenta a economia e impulsiona a geração de renda também em Campo Grande

Segundo estudo divulgado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, o Carnaval deve movimentar R$ 9 bilhões em todo o país. “O ambiente econômico mais favorável contribui não apenas para o aumento da movimentação financeira durante eventos como o Carnaval, mas também para a retomada gradual de diversos setores”, aponta a CNC.

Outro estudo da empresa DECOLAR revela que a procura pelos destinos nacionais por clientes de outros países cresce muito nesta época do ano. “O crescimento da procura de estrangeiros por pacotes de viagem para passar o Carnaval de 2024 no Brasil foi de 81%, em relação à busca para o carnaval de 2023”, é o que revela a diretora de Produtos Não Aéreos da Decolar, Daniela Araújo.

Já os gastos de estrangeiros no Brasil devem movimentar quase R$ 1 bilhão. A expectativa é que os turistas injetem no país R$ 971 milhões somente no Carnaval.

Fale com a Redação