Uems. (Foto: Edemir Rodrigues)

As atividades e ações da Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS) refletem além do ensino de qualidade à população, proporcionando também o acolhimento a quem escolhe Campo Grande estudar ou viver.

Além do ensino de qualidade, UEMS capricha no acolhimento de seus acadêmicos
Formandos da primeira turma de medicina (Fotos: Edemir Rodrigues)

Fato histórico e recente foi a formação da primeira turma de medicina da UEMS, há um ano, que só foi possível após a entrega do Campus da universidade em Campo Grande, ainda na primeira gestão do governador Reinaldo Azambuja, em 2015. O curso atraiu estudantes de diversos estados. Egressa da primeira turma, Maria Carolina veio de Londrina – Paraná para se formar aqui. “Sinto muita gratidão e orgulho de ter feito parte da primeira turma de medicina da UEMS. Nós, junto com nossos professores, construímos o curso. Por ser primeira turma, passamos por dificuldades no início, mas a UEMS forneceu uma formação de excelência e sou muito grata”, disse a jovem médica que agora faz residência na Santa Casa de São Paulo – SP.

Em meio à pandemia, Maria se formou com mais 47 médicos de 14 estados pelo o sistema Drive In, em agosto de 2020. 16 estudantes de Mato Grosso do Sul, 12 de São Paulo, 3 de Minas Gerais, 2 do Rio de Janeiro, 1 de Pernambuco, 1 de Tocantins, 1 da Bahia, 2 de Goiás, 2 de Mato Grosso, 1 de Rondônia, 3 do Paraná, 1 de Alagoas, 1 do Piauí e 1 do Maranhão também colaram grau nesse dia.

Além do ensino de qualidade, UEMS capricha no acolhimento de seus acadêmicos
Acadêmicos de medicina na UEMS (Foto: Saul Schramm)

A UEMS Campo Grande continua atraindo estudantes de outros estados. É o exemplo da também estudante de medicina, Caroline Molina, que veio de Cuiabá – Mato Grosso, para estudar na Capital sul-mato-grossense. Ela e o marido escolheram Campo Grande para viver. “Sou apaixonada pela UEMS, estou gostando muito embora tenha alguns problemas pelo fato do curso de medicina ser novo ainda”, afirmou. A UEMS de Campo Grande possui mais de 70 projetos de ensino, pesquisa e extensão, além da oferta de 11 cursos de graduação, quatro mestrados e cursos de especialização, de línguas e muitos outros.

UEMS ACOLHE

O acolhimento oferecido pela universidade não se limita apenas aos estudantes. Através da UEMS ACOLHE – Acolhimento Linguístico, Humanitário e Educacional a Migrantes Internacionais, refugiados e migrantes em situação de vulnerabilidade são alvos de ações de inserção linguística, cultural e social na sociedade sul-mato-grossense. A partir do oferecimento de cursos regulares de português como língua de acolhimento, desde 2017, o programa promove o reconhecimento da cidadania plena dessa comunidade em Mato Grosso do Sul, atuando em sua integração laboral e sociocultural.

Além do ensino de qualidade, UEMS capricha no acolhimento de seus acadêmicos
Coordenador do UEMS Acolhe, João Fábio Silva

O Coordenador do projeto UEMS Acolhe, João Fábio Sanches, destaca que além dos cursos de Português, o programa ainda promove ações de capacitação para agentes que lidam com o acolhimento e oficinas com a finalidade de levar informações relevantes para a comunidade migrante internacional a partir de temas como saúde, direito e assistência social, que são ministradas por profissionais qualificados nessas áreas. “O Programa UEMS ACOLHE contribui para ampliar as discussões sobre políticas institucionais e públicas no MS para a implantação de ações efetivas de acolhimento linguístico, humanitário e educacional a comunidade refugiada e migrante internacional, enfatizando a relevância do tema migração e deslocamentos no contexto nacional e internacional, favorecendo a reflexão sobre o que vem a ser uma sociedade que acolhe”, afirmou.

Em Campo Grande, cidade que recebe um constante fluxo migratório internacional, os cursos são oferecidos em quatro locais diferentes. Nos 4 anos do Programa, mais de 1.000 migrantes internacionais participaram dos cursos presenciais e/ou on-line de Português, representando mais de 30 nacionalidades. Durante este período, alunos de países como Venezuela, Colômbia, Haiti, Senegal, Egito, Síria, Paquistão e China formaram a maioria dos atendidos.

Além do ensino de qualidade, UEMS capricha no acolhimento de seus acadêmicos
Professor doutor Laércio Alves de Carvalho, reitor da UEMS

Fortalecimento da educação

Em mais de 10 anos de atividade, a unidade universitária da UEMS de Campo Grande tem contribuído em várias frentes pra o fortalecimento da educação em Mato Grosso do Sul, conforme avalia o reitor Laércio Alves de Carvalho. “Seja com a oferta dos nossos cursos nas licenciaturas e nos bacharelados, seja com ações para popularização da ciência junto aos jovens estudantes do Ensino Médio, seja nas pós-graduações. Sempre buscamos promover a inclusão de nossos jovens, no sentido de garantir o acesso a eles a um Ensino superior público e com qualidade. Nessa perspectiva, afirmo que a Educação segue transformando vidas e, desse modo, a UEMS retorna à sociedade tudo o que é investido em nossa Universidade. Ressalto que, nesta caminhada, sempre contamos com o apoio fundamental do Governo do Estado para o fortalecimento da UEMS. Enquanto reitor, venho expressar minha satisfação em ver retornar à nossa capital morena todo esse apoio”, concluiu o reitor.

Comentários