Sala de aula.(Foto/Divulgação)

Alunos do 7° ano do ensino fundamental da Escola Municipal Advogado Demosthenes Martins, no Octávio Pécora, foram classificados para a semifinal da 7ª Olimpíada de Língua Portuguesa. Na olimpíada, que é aberta a estudantes do 5° ano do ensino fundamental até o terceiro ano do ensino médio, os diretores de escolas escolhem os professores que irão para as etapas seguintes. A unidade escolar da Rede Municipal de Ensino (Reme) foi a única selecionada em Mato Grosso do Sul para a semifinal do concurso.

Os relatos deveriam conter estratégias, soluções, alternativas e inovações encontradas pelos professores durante a pandemia da Covid-19 para executar as atividades com seus alunos, de modo a garantir a continuidade do processo de aprendizagem. Para acompanhar o relato, os trabalhos do professor com os alunos podem envolver, em diferentes linguagens de mídia, a produção de vídeos, infográficos, fotos, podcasts (programas de rádio que podem ser ouvidos pela internet a qualquer hora).

Alunos da Reme se classificam para a semifinal da 7ª Olimpíada de Língua Portuguesa

O tema desta edição do concurso foi “O lugar onde vivo”, para estimular as realidades locais. O trabalho com os alunos teve início no mês de maio com quatro meses de duração. “O início foi feito todo de forma on-line, as aulas eram gravadas no Facebook com todas a explicação dos gêneros. Nós elaboramos um caderno impresso de atividades para eles desenvolverem as oficinas em casa, quando nós voltamos fizemos o fechamento com a correção dos textos, a edição final e enviamos todo o material para a olimpíada”, explicou a professora Indianara Abreu Holsback, que direcionou os alunos.

“Foi bem legal e divertido. Eu gosto muito de competir. Eu aprendi muita coisa. Achei um pouco difícil de produzir, de transcrever a história. Eu fiz a história de casamento do meu padrinho, tive que transcrever, o que ele mais gostou”, explicou a aluna Kauane Ferreira, 12 anos. “Foi uma experiência inesquecível, uma coisa que eu nunca tinha participado. Eu transcrevi a disputa de Campo Grande para a Copa do Mundo de 2014. Eu aprendi o gênero das memórias literárias”, disse Caio Martins, 11 anos.

A olimpíada, promovida pelo Itaú Social, tem coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec) e conta com parceria do Ministério da Educação, da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, do Conselho Nacional de Secretários de Educação, da Fundação Roberto Marinho e do Canal Futura. Para os selecionados, será disponibilizado um ambiente virtual de aprendizagem específico para cada um dos cinco gêneros do concurso – poema, memórias literárias, crônicas, documentário e artigo de opinião -, a fim de proporcionar encontros formativos e culturais. Nesta fase, serão escolhidos os professores finalistas, dos quais sairão os 20 ganhadores – quatro para cada gênero. Eles serão premiados com todas as suas classes.

A Olimpíada de Língua Portuguesa visa apoiar o aprimoramento das práticas de ensino de leitura e escrita. A semifinal será de 13 de outubro a 16 de novembro. A partir da semifinal, haverá oficinas para os professores e alunos, em formato virtual, devido à pandemia. Dos 210 professores semifinalistas, 80 serão selecionados para a final e 20 deles, com suas turmas, sairão vencedores. A final está prevista para 10 de dezembro, também em formato virtual. Na fase semifinal, os 210 professores selecionados receberão celulares com um pacote de internet para que continuem trabalhando de forma remota com suas turmas, nas oficinas. Na final, os docentes ganharão notebooks e, os alunos, tablets, além de periódicos e Kindle (leitor de livros digitais).

Comentários