Pandemia fez governo adiar recebimento de impostos nos últimos meses. Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A prefeitura de Amambai ganhou destaque na mídia estadual e nacional ao decretar isenção de impostos como forma de minimizar a situação dos comerciantes que vem sofrendo forte impacto financeiro diante da grave crise econômica do País agravada ainda mais com a pandemia da Covid-19 (novo coronavírus).

Há dias, a Câmara de Vereadores aprovou Projeto de Lei Complementar 003/2021, enviado à Casa pelo prefeito Edinaldo Luiz de Melo Bandeira, que isenta os comércios noturnos do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano ) e das taxas de Alvará de localização e funcionamento.

Em recente entrevista à TV Morena, afiliada à Rede Globo de Televisão, e também por outros administradores, Bandeira falou sobre a importância deste projeto que visa apenas empresas que iniciam os trabalhos a partir das 18h e repassou a necessidade de estar presente, apoiando aqueles que investem diariamente no giro da economia do município.

O reconhecimento pela atitude mostra o quanto a administração vem tentando minimizar os efeitos, principalmente econômicos, da pandemia e ainda assim protegendo os cidadãos amambaienses de uma maior proliferação do coronavírus.

Itaporã

O prefeito de Itaporã, Marcos Pacco, anunciou que enviará à Câmara de Veeradores projeto de lei que dispõe sobre a isenção de impostos para comerciantes que tem atividades noturnas.

A proposta do projeto é isentar o IPTU, Alvará e ISS para amenizar os impactos da pandemia que exigiu toque de recolher em todo o estado.

A ideia é minimizar a crise financeira dos comerciantes diante da pandemia da Covid-19 (novo coronavírus) que tem apavorado toda a população e preocupado as autoridades públicas a cada boletim epidemiológico divulgado pela SES (Secretária de Estado de Saúde). 

Neste contexto, a nova lei pretende beneficiar comércios, como conveniências, distribuidora de bebidas, bares e tabacarias, lanchonetes, restaurantes, pizzarias, sorveterias, quiosques, comércio de rua e cafés.

Marcos Pacco disse que Itaporã vai cumprir com a lei estadual limitando o horário do toque de recolher para as 20h horas, porém, sensibilizado com o impacto que isso pode causar, resolveu tomar a inciativa de isentar os impostos.

Boletim epidemiológico 

Durante live nesta sexta-feira (19), a secretária adjunta da Saúde, Cristhine Maymone, alertou para o grande número de municípios sul-mato-grossenses na faixa vermelha, de alto grau de risco.

Segundo ela, são 44 de acordo com a avaliação do Programa Prosseguir.

De acordo com o levantamento, 29 municípios regrediram de bandeira, ficando em situação pior e 11 melhoraram em relação ao cenário anterior.

O secretário de Saúde, Geraldo Rezende, lamentou os números do boletim epidemiológico de hoje: 200.017 casos confirmados, 1.222 casos novos, média móvel de 1.083,9.

Foram registrados ainda mais 36 óbitos por Covid-19. Totalizando 3.775 mortes. E a média móvel vai a 30,3 mortes por dia. São 417 óbitos só neste mês de março, o mês com mais mortes durante toda a pandemia, destacou o secretário de saúde.

Em Campo Grande, classificada pelo Programa Prosseguir na bandeira cinza de grau extremo, foram registrados 21 óbitos.

Outros quatro são de Dourados. Três de Camapuã. E dois de Naviraí e Sonora. São Gabriel do Oeste, Três Lagoas, Sidrolândia e Ponta Porã registraram um óbito cada.

Outra preocupação do secretário são os 8.182 casos que aguardam encerramento nos municípios. Ele voltou a pedir empenho das secretarias municipais de Saúde para conclusão.

Hoje, 11.101 infectados estão em tratamento, porém em isolamento domiciliar. Precisaram de internação 968 pessoas. 553 ocupam leitos clínicos e outros 415, que são casos mais graves, já ocupam leitos de UTI.

Comentários