Mom breastfeeds newborn baby at home

Os primeiros meses de vida de um recém-nascido demandam muito cuidado, especialmente quando se alimentam exclusivamente do leite materno, conforme recomendado pela Organização Mundial da Saúde. Com isso, a dedicação da mãe nesse período acaba ainda mais intensa.  

Apesar disso, pai, companheiro e rede de apoio podem e devem auxiliar essa mãe, tornando essa temporada menos cansativa, afinal, amamentar demanda tempo, esforço e muita dedicação. “O parceiro ou parceira, tem papel fundamental na vida de uma família, seja de pai ou de mãe, diferente da rede de apoio, já que esta faz muita diferença no puerpério, principalmente no início, pois o cansaço, por exemplo, prejudica o sucesso do aleitamento materno. Se tivermos uma ‘rede de apoio que não apoia’ a amamentação, a chance de não dar certo é muito grande”, explica Dra. Rubia da Silva Borges, ginecologista e obstetra da Unimed Campo Grande. 

A médica reforça “frases como ‘seu leite é fraco ou pouco’, ‘ele chora de fome’, entre tantas outras, contribuem para que a mãe não persista nesse projeto de amamentar seu bebê”.  

Na prática, as pessoas podem ajudar mães que amamentam de diferentes formas. “Pessoas têm a necessidade de oferecer uma palavra de ajuda, porém, muitas vezes, o que a puérpera precisa é de uma ajuda prática.

E para apoiar as mães que amamentam ou mesmo que estão no puerpério, compartilhamos algumas dicas. Confira! 

Acompanhe a amamentação 

Sempre que puder, esteja presente no momento da amamentação, pois tanto a mãe como o bebê podem precisar de alguma ajuda, como um copo de água, já que amamentar dá fome e muita sede. Após a mamada, coloque o bebê para arrotar. 

Execute outras tarefas com o bebê e fortaleça os laços  

Como a amamentação é um ato que depende exclusivamente da mãe, assumir tarefas como dar banho, colocar para dormir, levar para tomar sol, são uma grande contribuição e ainda fortalece o vínculo com a criança.  

Entenda o que amamentar significa 

Quando a mulher amamenta, ela não está apenas alimentando seu filho. O ato envolve também questões emocionais e físicas, por isso é importante informar-se sobre o assunto. Assim, é possível ajudar e apoiar de várias maneiras.  

Auxilie nas tarefas do lar 

Quando o bebê chega, a mulher tende a se dedicar exclusivamente a ele e quase não sobra tempo para outras tarefas que fazia antes de sua chegada. Por isso, auxiliar com o dia a dia da casa, como lavar louça, varrer, passar um pano, preparar uma refeição ou organizar as coisas do bebê são uma ajuda e tanto.  

Converse com o bebê 

Recém-nascidos não entendem ao pé da letra o que dizemos a eles, mas se sentem bem com o som da voz de pessoas mais próximas. Por isso, conversar, cantar e contar histórias ajudam muito o bebê a criar uma relação de confiança. 

Pode não parecer, mas esse tipo de ajuda representa um refrigério, amor, carinho e respeito por essa mulher nessa fase tão delicada da sua vida. 

Dra. Rubia destaca que o Agosto Dourado e a Semana Mundial do Aleitamento Materno, que acontece todos os anos de 1º a 7 do mês de agosto, é muito importante e que falar sobre amamentação ajuda a conscientizar as pessoas sobre a importância do ato, mas também de que a mãe pode e deve amamentar seu bebê em qualquer lugar. 

“Devolver o natural para o natural é um processo contemporâneo. Vemos muitos grupos se envolvendo nessa valorização, propiciando uma abertura maior para que as mulheres se sintam à vontade para amamentar onde e quando puder, quiser e precisar”. 

Fonte: Ascom Unimed CG

Comentários