Divulgação

O decreto municipal ainda não foi publicado, mas o procurador geral do município Alexandre Ávalo adiantou sobre algumas atividades que poderão funcionar no feriado de sete dias

O procurador geral do município Alexandre Ávalo em coletiva nesta manhã (19), afirmou que as medidas para conter o avanço da covid-19 não são de lockdown. Mas haverá estrições de atividades e pediu a consciência e compreensão coletiva. No boletim de hoje, Campo Grande apresentou 105% de taxa de ocupação de leitos e segue sendo o epicentro da doença no Estado, com recorde de casos.

O decreto municipal sobre as restrições ainda não foi publicado, mas deve sair ainda hoje. Mas, Ávalo adiantou que estarão liberados ao menos 30 atividades essenciais, entre elas alimentação, tratamento médico, delivery e farmácia. Igrejas também poderão funcionar, seguindo todas as exigências de biossegurança. Já as aulas permanecerão remotas.

O procurador também ressaltou que não vai haver restrição de circulação. Os ônibus vão funcionar e a blitz da Guarda Civil Municipal iniciará aos blitz a partir das 20h, para fiscalizar o cumprimento do toque de recolher.

Logo mais às 13 horas, haverá ainda uma sessão extraordinária na Câmara Municipal para votar o projeto de leite que autoriza o prefeito Marquinhos Trad (PSD) a fazer essa mudanças.

Comentários