projeto desenvolvido em parceria com o Governo de MS. (Foto/Divulgação)

O presidente da Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso do Sul), André Dobashi, apresentou a representantes do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), o Siga (Sistema de Informações Geográficas do Agronegócio). O projeto desenvolvido em parceria com o Governo de MS, que monitora principalmente as safras de soja e milho do Estado, que tem sido referência para os americanos.

Em diversas ocasiões o USDA chegou a citar o projeto SigaMS em seus documentos que avaliam o desenvolvimento dos grãos em diversas regiões do mundo. 
Durante a apresentação foram elencados dados desde o início do projeto, em 2009 e foi ressaltada a necessidade da apresentação de dados concretos, uma vez que influenciam no andamento do mercado e devem representar a realidade local.

A metodologia do Siga, que reúne informações de satélite com dados coletados em campo, foram repassadas aos representantes americanos. Entre as informações, o dado de que as coordenadas geográficas das culturas, nas margens das rodovias, são registradas a cada 1 quilômetro, e todas verificadas por meio do sensoriamento, corroborando para veracidade da informação pesquisada a campo.

Representou o USDA na reunião a Sunita Yadav, analista de safras da Foreign Agricultural Service (FAS). E também participou a Nicole Podesta, adido agrícola dos Estados Unidos, em Brasília.

Comentários