A obesidade infantil é uma preocupação mundial, mas é essencial também ter cuidado com o estresse e a pressão exagerada sobre o número na balança, pois isso pode agravar a situação do pequeno. Afinal, o importante não é atender a padrões estéticos, mas sim crescer com saúde e criar uma relação saudável com a alimentação e com o corpo.  

O Dia da Conscientização Contra a Obesidade Mórbida Infantil, celebrado nesta sexta-feira (3), reforça mais ainda o quão importante é cuidar deste público, já que crianças acima do peso, segundo o Ministério da Saúde, têm mais chances de se tornarem adultos obesos, e a obesidade está relacionada com o surgimento de doenças crônicas, como diabetes e hipertensão. 

E para lidar com isto de forma saudável, é crucial atentar-se às emoções dos pequenos. A psicóloga da Unimed Campo Grande, Simone Rodrigues de Melo, explica que em situações de estresse ocorre o aumento do cortisol no organismo, acarretando comportamentos como o aumento da ingestão de alimentos, apetite descontrolado e compulsão alimentar. “Isso acontece devido à relação entre sentir estresse e a sensação de melhora depois de desfrutar de alimentos ricos em calorias palatáveis, como açúcar e gordura”. 

Já a pressão demasiada nas crianças, segundo a psicóloga, pode provocar dificuldade de socialização, problemas de aprendizagem, prejuízos no sono e quadros depressivos. “A pressão acaba limitando as possibilidades da criança desenvolver-se plena e saudavelmente”, enfatiza. 

Por fim, Simone elenca maneiras saudáveis para lidar com o assunto dentro de casa:  

– Estimular hábitos de vida saudáveis, dar exemplos e compartilhar com a criança formas de alimentar-se bem 

– Reduzir o tempo gasto com aparelhos eletrônicos, como TV e celular, e incentivar a prática de atividades físicas, como brincadeiras ao ar livre, que são ótimas maneiras de combater e evitar casos de obesidade 

– Não criticar, nem fazer piadas 

– Conversar com a criança sobre como ela se sente e fazer uso de palavras positivas ao falar sobre reeducação alimentar  

Atividades físicas indicadas 

Como um dos métodos indicados para combater e prevenir a obesidade infantil, é fundamental que as atividades sejam prazerosas e adequadas ao estado individual de crescimento da criança, por isso, de acordo com a endocrinologista pediátrica da Unimed Campo Grande, Dra. Caroline Nantes Chaia, cada idade tem uma atividade indicada. 


Entre 0 e 2 anos é importante que as crianças sejam ativas por curtos períodos, mas várias vezes ao dia, e as atividades indicadas para elas são: brincar, engatinhar, arrastar, andar e rolar. 

Já dos 3 aos 5 anos podem ser introduzidas atividades físicas estruturadas como: natação, danças, lutas, esportes coletivos, além de brincadeiras que devem acumular, pelo menos, três horas, distribuídas ao longo do dia. 


E na fase dos 6 aos 12 anos deve ser considerar pelo menos uma hora de atividades físicas de intensidade moderada a alta. O peso utilizado deve ser o peso corporal. “Lembrando que é aconselhável iniciar com um volume de atividades menor, e com o tempo ir aumentando a duração, frequência e intensidade” auxilia a médica. 

Fonte: Ascom Unimed CG

Comentários