22/02/2020 09h05
Por: Sue Anne Calais

Melhor brasileiro da última edição da Corrida de São Silvestre, em dezembro do ano passado, com o 11º lugar. Vencedor da Copa Brasil de Cross Country em janeiro. Campeão da Meia Maratona Internacional de São Paulo em fevereiro (transmitida ao vivo pela TV Brasil) com direito a índice atingido para o Mundial da prova, de 21 quilômetros. E, há uma semana, convocado oficialmente para a competição, marcada para 29 de março em Gydnia (Polônia), superando a concorrência, por exemplo, de Giovani dos Santos, um veterano de provas de fundo.

Daniel Ferreira do Nascimento, com 21 anos, jovem de Paraguaçu Paulista, cidade a mais de 420 quilômetros de São Paulo, é esperança no Atletismo.

Com oito anos dedicados ao esporte, mas que ficou quase uma temporada inteira parado, devido a dores no tendão de aquiles, quase fez pensar em abandonar a prova da São Silvestre em 2018. Depois deste episódio retornou pra casa.

Daniel, então, trocou a rotina de treinos pela da roça, com a família.

Poderia ser o fim precoce de uma carreira que surgiu promissora, com medalhas, pódios e recordes nacionais e sul-americanos quebrados na base em provas de resistência. Mas, coube a um companheiro de trabalho na roça dar um empurrãozinho para a vida esportiva de Daniel recomeçar. Ele acredita que essa motivaçao que fez toda diferença na vida, explica.

Recomeço

Em Bauru, Daniel recomeçou seus treinos ao lado do atual técnico, Neto Gonçalves, da Associação Bauruense de Desportos Aquáticos (ABDA).

A parceria entre Neto e Daniel começou há nove meses. O técnico relembra quando o atleta veio voltar a treinar e pediu uma chance para voltar ao esporte. Foi apresentado o projeto e equipe a partir de então, recorda.

A rotina em Bauru é intensa, com treinamento em seis dos sete dias da semana, algumas vezes em duas sessões.

Rumo a 2024

A curto prazo, o foco do trabalho é o Mundial da Polônia, para o qual o próprio Daniel não esperava a convocação, mesmo com o índice. Olimpíada? Talvez, daqui a quatro anos, em Paris, na França.

Mas não é só nas pistas que Daniel deposita seus sonhos: ele pretende cursar Educação Física, estudar inglês e ainda brinca dizendo que quer se preparar para entrevistas que terá no futuro.

Mundial de Meia Maratona

Além de Daniel, o Brasil será representado no Mundial de Meia Maratona por mais quatro atletas: Ederson Vilela Pereira (ouro nos 10 mil metros nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru), Gilmar Silvestre Lopes (hexacampeão da Copa Brasil de Cross Country), Valdilene dos Santos Silva e Andreia Aparecida Hessel, respectivamente 6ª e 8ª na maratona feminina do Pan. A previsão, segundo a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), é que a delegação embarque para a Polônia no dia 25 de março.

Sergio Shibuya / Yescom / Agência Brasil

Comentários