Captação de leite. (Foto: Sena/Divulgação)

Gordura, proteínas e sólidos são determinantes na qualidade do produto

Você com certeza já ouviu a expressão ‘menos é mais’. A frase vale para várias situações, mas não é o caso do leite. A qualidade do produto está diretamente associada à gordura, proteína e sólidos totais, quanto mais desses componentes presentes, mais atributos terá o leite. O assunto, abordado em curso gratuito do Senar/MS, é  tema da editoria #EducaçãonoCampo desta quarta-feira (1º).

Um leite padrão deve ter no mínimo 3% de gordura, 2,9% de proteína e 11,4% de sólidos. A raça da vaca também está associada ao resultado final do produto.

Outro quesito que deve ser levado em consideração é a qualidade sanitária. “A forma como o leite foi extraído no processo de ordenha, a higienização do tanque de expansão e a temperatura no armazenamento são condições que, se não aplicadas adequadamente, podem ampliar em mais de 300 mil o número de bactérias/ml no leite”, explica o instrutor do Senar/MS, Wilson Igi.

As células somáticas de defesa do organismo que migram para o úbere quando existe a contaminação por bactérias, fungos e leveduras e podem ocasionar infecção, que é a chamada mastite. “A doença é classificada como clínica quando observamos grumos no leite, e subclínica quando o leite parece normal a olho nu, mas que na análise laboratorial apresenta acima de 200 mil ccs [contagem de células somáticas] por ml de leite”, explicou.

Para prevenir as contaminações do leite a dica é higienizar e desinfetar as mãos antes da ordenha; ordenhar somente tetos e equipamento de ordenha desinfetados; gelar o leite com intervalo mínimo de 3 horas da última ordenha, sanitizar toda a linha canalizada, além da vacinação contra mastite.

O Curso ‘Como produzir leite de qualidade’ faz parte do portfólio do Senar/MS. Acesse senarms.org.br e confira as agendas confirmadas para esta capacitação. 

Dica para o consumidor
Para os apreciadores de leites a dica é provar a bebida pura. “Normalmente as pessoas tomam leite acompanhado de café ou de achocolatado. Isso faz com que o sabor original seja camuflado e passe despercebido ao paladar. O ideal é tomar o leite sem ingredientes adicionais e analisar o odor e o sabor. Caso esteja muito ácido (azedo) é certeza de contaminação”, explica o instrutor. 

Comentários