O Enofque MS noticiou que ‘Câmara faz debate sobre ‘mudança de comportamento’ no trânsito em Dourados” . E assim aconteceu na manhã desta quarta-feira (12), na Câmara de Vereadores Douradense, com as presenças de técnicos, vereadores e outros agentes públicos, a audiência pública “A mudança de comportamento no trânsito”, como parte da programação do mês do ‘Maio Amarelo’. O evento contou com parcerias do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito), Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) e Guarda Municipal de Dourados.

Propositor da audiência, o vereador Juscelino Cabral (DEM) explicou que a iniciativa tem o objetivo trazer ao conhecimento de toda a comunidade douradense a conscientização da segurança viária. “É uma maneira de levar à população a conscientização de praticar, no dia a dia, a educação em todas as suas formas e em todos os lugares. Devemos colocar a empatia como carro chefe da convivência”.

Juscelino Cabral diz que anualmente são realizadas campanhas e mais campanhas, porém, as ações são sempre as mesmas e a situação não muda, ou muda muito pouco. Para ele, trânsito humanizado baseia-se no tripé educação, engenharia e fiscalização, com ênfase na educação, responsável pela formação dos cidadãos. “Penso que a educação para o trânsito deve começar já nos primeiros anos de escola, no pré-escolar, pois educando a criança o aprendizado é para toda a vida”.

A pedagoga Mariana de Souza Neto, diretora da Agetran, destacou o empenho dos funcionários do órgão, no trabalho diário em favor de um trânsito mais humano. Ela discorreu sobre o ‘Maio Amarelo’ e cobrou que toda a sociedade deve se mobilizar em favor da segurança viária e condenou os “achismos”, carregados em opiniões pessoais segundo as quais as instituições de trânsito são “indústrias da multa”. “Dourados precisa estar sintonizado no contexto da mentalidade nacional e os usuários das vias públicas ter a consciência de que todos são responsáveis pela segurança, sua e dos demais”. Ela também apresentou números das ações da Agência, com destaque para as blitz educativas, panfletagens e abordagens.

Diretor do departamento de Educação para o Trânsito, Christian Lelis também apresentou dados sobre o trânsito douradense e considerou que o crescimento populacional e o consequente aumento da frota de veículos contribuem para as ocorrências de trânsito em Dourados. Ele aponta como principais responsáveis pela violência no trânsito, a embriaguez ao volante, excesso de velocidade e desrespeito à sinalização.

A assistente de atividades do Detran-MS, Elisangela Ximenes de Oliveira também fez um breve relato das ações do órgão, deu detalhes da campanha Maio Amarelo e concordou que a educação é a base para um trânsito ordeiro, seguido da fiscalização. Ela entende que investimento em transporte público pode contribuir para a redução do número de automóveis trafegando nas vias centrais.

Representando a Guarda Municipal, Antônio Carlos de Oliveira Barreto fez considerações sobre o trabalho da corporação em auxílio aos organismos de trânsito e avaliou que apesar de todo o trabalho feito, ainda há muitos motoristas que cometem infrações, entre as quais, as mais corriqueiras, estacionar em vagas destinadas a idosos e cadeirantes. Entre as demandas mais comuns, citou a embriaguez ao volante e a condução de infratores.

Também fizeram considerações acerca do tema o inspetor Wesley Henklain Ferruzi, da Guarda Municipal de Dourados; o tenente Diniz, do 3º Batalhão da Polícia Militar; o vereador Márcio Pudim e o presidente do Sindicato dos Mototaxistas, Silvério Diniz.

Também participaram da audiência, o major José Ricardo Cabreira Campos, da Polícia Rodoviária Federal; o major Edenilson Domingues, do 2º Grupamento do Corpo de Bombeiros; e o vereador Daniel Junior, entre outras personalidades locais.

DADOS ESTATISTICOS

Dourados conta hoje, segundo dados do Detran, com 164.826 veículos, sendo 48 mil motocicletas. O município tem 121.535 condutores habilitados.

Por outro lado, a Agetran revela que houve redução no número de acidentes em Dourados no ano de 2020 em relação a 2019.  Segundo dados estatísticos, em 2019 houve um total de 1379 acidentes na cidade, sendo 752 não fatais, com um total de 916 vítimas e 53 mortes. Já em 2020, foram 712 acidentes, 429 não fatais, com 530 vítimas e 33 mortes.

A redução do números de sinistros é atribuída à pandemia do coronavírus, principalmente por conta de decretos restritivos que limitaram o horário de circulação de pessoas e o consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas.

Comentários