Sérgio Harfouche (Foto: Redes Sociais/Reprodução)

O Avente não terá candidatura própria ao Senado Federal. Em convenção nesta sexta-feira (05), último dia do prazo para a aprovação dos nomes que irão disputar as eleições de logo mais, o Avante anunciou que Sérgio Harfouche desistiu da disputa ao referido cargo, conforme vinha sendo tratado desde então, optando por disputar uma vaga na Câmara dos Deputados. Além disso, a legenda também oficializou o apoio ao candidato Capitão Contar (PRTB) para o Governo do Estado.

O próprio Capitão Contar esteve na convenção e agradeceu o apoio recebido pela leganda, destacando que a decisão aconteceu somente nessa reta final das convenções. “A gente sempre vinha conversando sobre essas possíveis alianças”, declarou. Ainda em sua fala, o cnadidato ao Governo do Estado afirmou que terá chapa pura do PRTB, mesmo após a confirmação da aliança partidária. “Sugeri que fizéssemos e criasse o nome dessa coligação como: Mudanças e Verdades”.

A mudança em cima da hora no Avante aconteceu por conta de uma decisão de nível nacional do próprio partido, que até então tinha como pré-candidato André Janones à Presidência, mas acabou por recuar e apoiar a candidatura de Lula (PT). Como os diretórios estaduais foram liberados para decidirem seus próprios caminhos, em Mato Grosso do Sul o Avante decidiu que irá trabalhar em prol da reeleição de Jair Bolsonaro (PL).

Além disso tudo, o Avante também apresentou na convenção nove candidatos a deputado federal e 13 para estadual.

A desistência de Sérgio Harfouche

Até então cotado como pré-candidato ao Senado Federal, Sérgio Harfouche disse que a decisão por não disputar o Senado Federal é resultado de uma ‘pressão interna’ da executiva nacional do Avante. Entre os motivos está a falta de recursos para custear a candidatura ao Senado em todos os estados. “O fato de não ter recurso veio para mim como um não”, afirmou aos jornalistas.

Em seguida, ele afirmou que não desistirá de um dia voltar a disputar o Senado, pois este é o seu grande sonho político. “O Senado está no meu coração, e eu vou ser senador. Talvez não agora”, concluiu.

Sérgio Harfouche é ex-procurador do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), cargo o qual não assumirá novamente, uma vez que pediu aposentadoria para poder concorrer nas eleições.

Comentários