O Deputado Estadual Barbosinha disse após reunião da Prefeitura de Dourados, que achou sensato e equilibrado rever o corte no salário dos professores neste momento delicado de pandemia

24/04/2020 14h25
Da redação com informações da assessoria

O deputado Barbosinha considerou, sensato e equilibrado, o novo posicionamento adotado pela Prefeitura de Dourados em relação à medida inicialmente anunciada na tarde de ontem (23), de cortar os salários dos professores contratos, depois de processo seletivo em que foram admitidos, para ministrar aulas na Rede Municipal de Ensino.

Advogado e professor universitário, Barbosinha considerou que a CI (Comunicação Interna) distribuída na pela Prefeitura de Dourados, comunicando o não pagamento dos salários dessa categoria no mês de abril, “já veio enviada de erros porque não houve um ato que determinasse essa decisão, da suspensão, ou o corte, de salários dos professores contratados do Município”, afirmou.

Ao assinar o contrato, depois de submetido a exame de seleção, o professor também firmou o compromisso, em cláusula específica, de se dedicar à função para a qual foi habilitado durante a vigência do contrato. “Mais uma razão para que continue recebendo os salários de acordo com o contrato vigente, porque permanece impedido de atuar em outra atividade, seja na iniciativa pública ou privada”, observou o advogado e deputado.

Divulgação

Comentários