Cultivo de peixes.(Foto/Divulgação)

Resposta positiva no cultivo de peixes está em manejo sanitário, que é tema de curso gratuito do Senar/MS

Sabia que imunidade e biossegurança estão diretamente ligados à produtividade na piscicultura? A qualidade da água, o baixo nível de estresse e o manejo adequado podem melhorar os resultados com a produção de peixes. O curso ‘Manejo Sanitário’, oferecido gratuitamente pelo Senar Mato Grosso do Sul, é tema da editoria #EducaçãoSanitária desta quarta-feira (28).

A vitamina C é um importante aliado para melhorar a imunidade dos peixes. Hoje, o ingrediente está presente até mesmo na composição das rações. De acordo com o instrutor Leonardo Zamae Wincklera imunidade protege os animais contra infecções, o que contribui com o aumento da produção e, consequentemente, reduz perdas econômicas.

Para saber se a produção de peixes está adequada, o piscicultor pode analisar o comportamento dos animais. “A resposta está na hora da alimentação. Se o peixe está ativo e voraz na hora de se alimentar, isso demonstra que o seu cultivo está bom”, explica.

Para que se tenha um bom padrão de biossegurança, a dica é que todos os alevinos sejam comprados juntos de um mesmo estabelecimento, e que este local seja de confiança. “A orientação é utilizar o protocolo ‘todos dentro e todos fora’, que nada mais é que inserir no tanque todos os animais juntos e também retirar todos juntos. A ideia é minimizar a ‘despesca’ parcial e evitar o manejo durante o inverno”.

Assim como outros animais, os peixes podem desenvolver diversos tipos de doenças. Na piscicultura, as infecções mais comuns são as bacterianas, fúngicas, a partir de protozoários, vírus e parasitos. Todos esses tipos de doenças podem comprometer a produção de peixes, já que os animais param de se alimentar e aumentam o nível de estresse.

Comentários