(FIFA/Getty Images)

Bola rola a partir das 13h (de MS) desta quinta para o primeiro compromisso eliminatório da equipe na competição

Agora é mata-mata! Em busca do hexacampeonato da Copa do Mundo de Futsal, a Seleção Brasileira encara o Japão, nesta quinta-feira (23), pelas oitavas de final da competição.

Com 100% de aproveitamento até aqui, o Brasil vai para o seu primeiro desafio na fase eliminatória. É ganhar ou ganhar. Analista de desempenho da Canarinho, Rodrigo Carlet diz ter detalhes minuciosos do time nipônico. Ele atentou aos perigos que o rival das oitavas pode oferecer.

“Falando sobre a equipe japonesa, tivemos a oportunidade de observar e analisarmos três jogos, os três que eles fizeram na primeira fase da Copa do Mundo, dois deles presencialmente, in loco, e um por vídeo. Falando mais especificamente sobre a equipe deles, é uma equipe bastante qualificada, que procura manter a posse de bola, com um trabalho de passe mais rápido, envolvente. Conta com três brasileiros e seus destaques são os camisas 9, 10 e 11 (Kazuya Shimizu, Katsutoshi Henmi e Shota Hoshi, respectivamente). Costuma trabalhar bastante com um pivô de referência, mas também utiliza-se do trabalho de movimentação do 4-0, quatro em linha”, explicou o profissional.

Completamente focado para a partida, Arthur também falou sobre as expectativas em relação ao jogo. O ala foi sucinto ao dizer que “não pode haver erros”.

“Vai ser um jogo muito duro, vai ser um grande desafio para nós. Chegamos em uma fase em que quem errar menos sai vitorioso. É as oitavas de final da Copa do Mundo, então não pode haver erros. Tenho um amigo do outro lado, o Rafael, que joga comigo no Benfica. Mas quero ganhar, ele é meu amigo do lado de fora, mas lá dentro, quero ganhar, fazer meu máximo para trazer essa vitória para o Brasil”

A bola rola na Arena Kaunas, às 13h (de MS), com transmissão ao vivo da Rede Globo e do Sportv.

Comentários