Divulgação

Barba, Cabelo e Bigode. Violência não pode. #Todos juntos contra a violência doméstica. Este é o slogan da nova proposta de trabalho da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar de MS, sob o comando da juíza Helena Alice Machado Coelho.

A ideia envolve salões de estética masculina e barbearias, que terão seus profissionais preparados para serem agentes multiplicadores de informação no combate à violência doméstica e familiar contra a mulher, a fim de reduzir os índices de violência e opressão em todos os espaços.

A proposta segue a mesma linha da ação implantada anteriormente, quando os profissionais de salões de beleza foram treinados para reconhecer e ajudar uma vítima de violência doméstica e familiar.

“O Mãos EmPENHAdas Contra a Violência, quando utilizado nos salões de beleza, teve reconhecimento nacional e internacional, mobilizando diferentes parceiros do segmento de beleza feminino. Queremos agora ampliar seu alcance e atuar também nos espaços voltados para o público masculino”, explicou a juíza Helena Alice.
 
Começando nesta segunda-feira (17), serão realizadas capacitações de caráter preventivo e informativo com profissionais que atuam nos espaços de beleza e estética masculinos, promovendo a informação e principalmente reflexão sobre a violência contra a mulher, além de desmistificar estereótipos de gênero, paradigmas machistas presentes no discurso masculino, que trazem prejuízos tanto para o homem quanto para a mulher.
 
Assim como nos salões de beleza, os estabelecimentos parceiros receberão o selo do programa e os profissionais receberão certificado do curso, ao tornarem-se agentes multiplicadores de informação, no enfrentamento ao índice vergonhoso de violência contra a mulher em Mato Grosso do Sul.

Em razão da pandemia causada pelo coronavírus, a primeira capacitação será realizada por videoconferência, como preceituam as normas de biossegurança para evitar possível disseminação do vírus e contaminação dos participantes e da equipe formadora. Importante lembrar que a ampliação do Mãos EmPENHAdas atende ao movimento ElesPorElas, que busca o engajamento de homens na luta pelo fim da violência contra as mulheres.

Destaque-se que o programa “Mãos EmPENHAdas contra a Violência” capacita profissionais da área da beleza sobre os aspectos psicossociais e jurídicos da violência doméstica e familiar contra a mulher, para que possam orientar clientes que estejam em situação de violência doméstica e familiar sobre seus direitos e rede de atendimento, desmistificar esse fenômeno e multiplicar informações.

Saiba mais – Desde maio de 2019, quando o presidente do TJMS, Des. Paschoal Carmello Leandro, editou a Portaria nº 1.485, regulamentando a replicação do programa “Mãos EmPENHAdas”, outras instituições de todo o país podem atuar no enfrentamento à violência contra a mulher utilizando todo o know-how do programa criado pelo Poder Judiciário de MS.

Dados das oito primeiras edições do programa em território sul-mato-grossense mostram que 220 profissionais foram capacitados, em 43 estabelecimentos de beleza e cerca de 3.500 mulheres receberam algum tipo de informação sobre o tema.

Pela Portaria, o programa “Mãos EmPENHAdas” poderá ser replicado por outras instituições, seja organização governamental ou não-governamental que atue no enfrentamento à violência contra a mulher e responsabilize-se pela execução do programa, por meio de técnicos multiprofissionais que tenham expertise no assunto.

Importante lembrar que a normatização da ação serve para garantir que tribunais e demais instituições repliquem da forma correta, como o programa foi criado, evitando o desvirtuamento de seus objetivos, que visam a prevenção de todas as formas de violência contra a mulher.

Autor da notícia: Secretaria de Comunicação

Comentários