O homem a ser batido: fama alcançada por Madson ‘Urea’ Moura com conquista do torneio principal coloca potiguar na mira dos competidores concorrentes.

31/01/2020 16h07
Por: Redação

O potiguar Madson ‘Urea’ Moura alcançou o topo do pôquer brasileiro com o título de campeão do torneio principal, em dezembro de 2019, do BSOP Millions, a maior competição do esporte da mente no Hemisfério Sul. A conquista rendeu de carreata em Mossoró, onde reside, a homenagem da Câmara de Vereadores de Umarizal, município em que nasceu. Porém, junto com a fama e os pedidos de selfies veio a ‘marcação’ dos atletas concorrentes.

“Ficou complicado para mim. Preciso criar outras estratégias de jogo porque muitos agora sabem como eu jogo”, disse Madson no salão de eventos do Hotel Royal Tulip Brasília Alvorada, sede da etapa de abertura da temporada 2020 do Campeonato Brasileiro de Pôquer.

Ele afirmou que vai jogar cinco torneios, no máximo, e que está apto a obter bons resultados. “Estou preparado”, garantiu. Madson ressaltou o acolhimento em Brasília e disse que a receptividade é um estímulo para alcançar conquistas na capital do País.

“Estou emocionado de estar no BSOP Brasília, na abertura da temporada 2020. Fui bem recebido pelo público e pelos organizadores, e esse carinho não tem preço. É um estímulo para dar o melhor e levar mais um título para casa.”

O potiguar destacou um dos pontos que considera mais relevante com a súbita fama: motivar a prática do esporte da mente: “Quem não conhecia o pôquer está dando valor ao esporte”.

Com o prêmio de R$ 1.244.790 do título do torneio principal da sétima e última etapa do Campeonato Brasileiro de Pôquer de 2019, ficaram no passado os tempos de dureza do potiguar de origem humilde, que era analfabeto até os 22 anos e que aprendeu a ler e a escrever praticamente sozinho, para estudar o esporte mental e melhorar seu jogo.

“A minha vida melhorou depois da conquista do torneio principal do BSOP Millions 2019. Antes tinha dificuldade de ir aos torneios, me hospedar. Até mesmo para me alimentar faltava dinheiro. Graças a Deus, a situação mudou e agora posso participar dos torneios nas melhores condições. Hoje estou hospedado no hotel em que é disputada a etapa do BSOP, então é só me concentrar na disputa e buscar o título.”

Após ganhar mais de R$ 1 milhão num torneio, Madson viu o número de amigos e de parentes crescer exponencialmente, ônus da fama: “Nunca imaginei que, do dia para a noite, fosse arrumar tantos parentes e amigos”, disse, sem conter o riso, mas ressaltou que sabe diferenciar e separar os amigos de todas as horas e quem se aproximou depois da conquista.

O potiguar não se queixa do assédio e destacou a felicidade de poder ajudar pessoas carentes da sua cidade natal – com auxílio de amigos, Madson distribuiu centenas de cestas básicas no mês passado, garantindo um Ano Novo mais farto para muitas famílias da pequena cidade do interior do Rio Grande do Norte.

Nesta temporada, o campeão do Millions 2019 estabeleceu como meta alcançar um degrau acima do BSOP: lutar pelo título de campeão brasileiro.

Assessoria.

Divulgação

Comentários