Corpo foi encontrado em sacos de lixo - (Foto: Portal do Holanda)

O ditado “eu estava na hora errada e no lugar errado” e no caso do jovem Sul-matogrossense, Diego Gomes Trindade, 22 anos, com um desenho em tatuagem de palhaço, que o levou a morte sem ser o alvo correto. O rapaz, que estava na Capital do Amazonas, foi encontrado esquartejado em Manaus, na última terça-feira (14), após ser levado da casa do padrasto no domingo (12) por um trio fortemente armado, que estava atrás de ‘um rapaz com tatuagem no pescoço’.

A hora ‘macabra’ ou azar de Diego foi tão grande, que ele estava com passagem comprada para voltar para Campo Grande no dia 20 deste mês, mas faltou alguns dias para o retorno, que se deu, mas somente do corpo dentro do caixão. O campo-grandense, que fez uma tattoo que “não indica coisa boa” foi morto, sendo trabalhador, onde foi à Manaus para ajudar o padrasto em uma obra e como dito, estava com a passagem de volta comprada quando teria sido confundido com um membro do PCC.

Conforme é de conhecimento policial e no meio do crime ou mesmo em parte da sociedade em geral, a tatuagem de palhaço, é associada a bandidos que já mataram ou assaltaram policiais. No entanto, o rapaz sequer tem passagens pela polícia por qualquer crime, em especial os de referência ao desenho.

Contudo, conforme apontamentos da policia Amazonense, o trio armado entrou na casa por volta das 22 horas do último domingo, quando o jovem já estava até deitado na cama após jantar. Na residência, estavam o padrasto, o irmão de Diego e a cunhada. Os algozes da vitima chegaram perguntando: “cadê o rapaz com tatuagem de palhaço no pescoço?”. E ao achar o jovem, o levaram sem qualquer “pergunta” sobre o mesmo.

Atos e fatos do momento do ‘sequestro’

O homens, que devem ser bandidos ou se tornaram assassinos de Diego, deixaram todos na casa assustados na entrada, onde à principio acharam ser um assalto. O irmão de Diego chegou a dizer que não havia na casa ninguém com aquelas características. 

Mas, os criminosos passaram a procurar pelos quartos da casa, onde encontraram Diego na cama. Ele tentou lutar para não ser levado. O irmão da vítima ainda teria dito, “ele nem é daqui”, quando um dos bandidos respondeu para que ficasse quieto, senão ele morreria também. 

À policia, os irmãos relataram que Diego foi arrastado para fora da casa chorando e colocado dentro do carro dos criminosos.

Os famíliares ficaram praticamente tr~es dias no desepero, sem noticia do morador de Campo Grande, que estava em Manaus. Somente após, veio a trágica noticia e absurda realidade do rapaz ter sido esquartejado e desmembrado pela cidade. Pedaços do corpo dele foram encontrados por populares em sacos de lixo pela cidade de Manaus. 

Uma moradora na região do Bairro Parque Riachuelo relatou que percebeu os sacos de lixo na segunda-feira, com forte cheiro, mas não desconfiou que fosse uma pessoa. Só na manhã de quarta-feira (15) ela viu uma mão em um dos sacos e chamou a Polícia Militar.

A Polícia Civil local abriu investigação do caso.

Comentários