Em comunicado nesta sexta-feira (24), a Uber explicou que baniu 1,6 mil motoristas nas últimas semanas em decorrências de abusos nos cancelamentos de viagens. Atualmente a plataforma conta com 1 milhão de motoristas inscritos no Brasil. O motivo dessa onda de cancelamento das corridas por parte dos motoristas é em alusão a alta do combustível.

“Dos cerca de 1 milhão de motoristas e entregadores parceiros cadastrados na Uber, 0,16% do total apresentaram —de maneira recorrente— comportamentos que prejudicam intencionalmente o funcionamento da plataforma”, disse em nota.

A empresa explicou também que os cancelamentos em desacordo com os termos de uso após o motorista aceitar a viagem. 

“O abuso no cancelamento de viagens não tem nada a ver com a liberdade do motorista parceiro de recusar solicitações. Na Uber, o motorista é totalmente livre para decidir quais solicitações de viagem aceitar e quais recusar”, afirma.

Os motoristas conseguem saber a distância, o destino e o tempo estimado de cada viagem antes de aceitá-las. Há duas semanas, Uber e 99 anunciaram reajustes por conta do aumento do preço dos combustíveis.

Na 99, a alta vai de 10% a 25%. Segundo a empresa, a medida visa “equilibrar a plataforma, oferecendo mais ganhos para os parceiros e mantendo a acessibilidade do serviço para os passageiros”, escreveu a empresa para a Folha de São Paulo.

Fonte: Folha

Comentários