Agentes de endemia orientam população no combate ao mosquito. CCZ

O CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) segue com mutirões de combate a dengue em bairros de todas as regiões de Dourados, inclusive nos finais de semana. Mesmo no período de inverno, as ações continuam a todo vapor e a orientação é para que a população contribua com a saúde pública, eliminando os recipientes que possam acumular água do quintal, visto que são os pontos que o mosquito Aedes aegypti usa para sua reprodução.

Rosana Alexandre da Silva, coordenadora do CCZ, destaca que os cuidados de prevenção ao vetor que também transmite zika vírus e chikungunya devem ser priorizados também nesta estação, pelo fato de que o mosquito tem se adaptado a ela. “Sabemos que o período de maior reprodução do Aedes é o verão, por conta do calor e constantes chuva, porém, nota-se que ele tem se adaptado e mesmo com temperatura amena, infelizmente, os casos continuam”, ressaltou.

Recentemente ocorreram mutirões nos bairros Toscana, Ipê Roxo, Novo Horizonte, Campina Verde-Sitioca, Clímax, Cohab II, Santo André, Água Boa, Guaicurus, Márcia, Terra Dourada, Guarani, Santa Hermínia, Residencial Pelicano, Monte Líbano, Guarujá, Planalto, BNH II Plano, Centro, Sulmat, Novo Horizonte.

No sábado (11), equipe atuou no Jardim Novo Horizonte e na Vila Sulmat, sendo que nesta última região foram eliminados quatro focos de mosquito da dengue.

No decorrer desta semana, as ações seguem em outras regiões de Dourados.

A coordenadora observa a necessidade do uso de máscaras pela população ao receber os agentes. Esta medida, recomendada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) e pela Prefeitura de Dourados, é essencial para evitar a propagação do coronavírus.

“Muitas pessoas, por estarem em casa, deixam de usar o item de proteção para receber nossa equipe e gostaríamos de lembrar a necessidade para nossa proteção e de quem está em casa também”, destacou.

Conforme dados do Centro de Controle de Zoonoses, Dourados possui 1.158 casos confirmados de dengue, além de 47 de chikungunya e 12 de zika vírus.

Comentários