Considerada pioneira no Brasil, a ação desenvolvida pelo Projeto Médicos pela Vida/ Campo Grande – MS, superou todas as expectativas previstas para a primeira semana de atendimento no Polo Morada.

Para o médico e pastor Henrique Maia, que cedeu o espaço da igreja para que os atendimentos sejam realizados, a ação tem sido muito gratificante. “Recebemos um retorno da população muito positivo, além de ajuda da população com doações de EPI’s, materiais e lanches”, explicou.

O projeto tem como objetivo o tratamento precoce de pessoas do grupo de risco e profissionais da linha de frente, focado em com sintomas leves do 1º ao 5º dia e acompanhantes de diagnosticados positivos para Covid.

Nos primeiros cinco dias de ação, o Projeto tem atendido 140 pessoas por dia, em média. Totalizando cerca de 500 pessoas, até o fechamento desta matéria.

A advogada Camila Arruda, conta o quão gratificante tem sido os momentos na atuação como voluntária do projeto. “É maravilhoso ver a forma como as pessoas estão se sentindo cuidadas de alguma forma, é gratificante no final do atendimento quando eles passam e agradecem dizendo ‘Deus abençoe pelo cuidado que vocês estão tendo com as pessoas’.”

Já o técnico de enfermagem do SAMU, Gardel Moura “com a chegada da pandemia, Deus criou uma circunstância para que eu possa, juntamente com os demais voluntários, ofertar todo amor e solidariedade aos que precisam, podendo atuar na minha área juntamente com a igreja.

Além de atender profissionais da Saúde, da área da Segurança e trabalhadores da linha de frente, com comprovação com o principal objetivo de prevenção, o projeto também dá atendimento aos pertencentes ao grupo de risco, como: idosos, hipertensos, obesos, diabéticos e doenças pulmonares obstrutivas crônicas.

O profissional da linha de frente M.R., 32 anos, que foi diagnosticado com a doença, apresentando sintomas leves, procurou atendimento na última quinta-feira.
M.R disse que a ação ajuda muito a cidade. “O amor, preocupação e cuidado de cada voluntário até chegar no médico. Uma atenção que nos constrange”.

Da porta até o atendimento com o profissional, todos os cuidados a fim de evitar contaminação, estão sendo tomados. O paciente chega ao local, e já de imediato passa pela desinfecção com álcool gel ainda da triagem.

“O atendimento, que eu e minha esposa tivemos foi excelente. Ambiente organizado, pessoas voluntárias treinadas para atender bem e corretamente, tudo muito higienizado. Fomos bem atendidos e bem orientados pelos médicos. Saímos com as receitas, já estamos utilizando os medicamentos e nos sentimos muito melhores. Acredito que essa ação vai contribuir para a desaceleração do vírus em Campo Grande”, contou E.M.

O atendimento está acontecendo no Polo Morada, localizado na Igreja Morada, que fica na Rua Barão do Rio Branco 1967 – Centro, em frente ao Rádio Clube Cidade, de segunda à sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h.

“Fazer um atendimento voluntário para a população de Campo Grande é muito gratificante. Mesmo com todos os todos equipamentos de segurança, que muitas vezes nos causam incômodo, conseguimos transmitir e receber o carinho das pessoas.” – complementa o médico Luiz Gustavo Orlandi de Souza.

É importante estar munido dos documentos pessoais, como: RG, CPF, Carteira do SUS, Carteira Funcional (comprovação da área de atuação) e o laudo de contactantes de pacientes positivos para Covid em isolamento domiciliar, se possuir.

Os médicos salientam sobre a necessidade de mais voluntários, que possam doar algumas horas da semana, podendo assim, alcançar mais pessoas por dia. É importante saber sorrir com os olhos e ter empatia.

O projeto precisa de médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, assistentes sociais, e todas aquelas pessoas que possam contribuir na área administrativa e orientação.

Para mais informações ligue para 67 3015-1967, de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h.

Por: Assessoria de Imprensa

Comentários