13/12/2019 07h06
Por: Redação

Dezembro começou com acumulados significativos de chuva em Mato Grosso do Sul, e a meteorologia indica a continuação dessas condições climáticas para a região centro-oeste do País. Isso é um bom sinal para os produtores que acabaram de concluir o plantio da soja safra 2019/2020.

Com o plantio 100% concluído, a estimativa de área plantada está mantida em 3,163 milhões de hectares pela Aprosoja/MS, com crescimento de 6%, produção em 9,9 milhões de toneladas, e produtividade média de 52,19 sacas por hectare. O momento é de monitorar as condições climáticas para atingir os resultados esperados.

Dados do Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima (Cemtec), indicam que áreas de instabilidades se formaram sobre o Estado, e já foram registrados acumulados de 74 milímetros. Para os próximos dias do ano, as mesmas condições devem permanecer, e o volume total esperado para dezembro é de 225 milímetros para todas as estações meteorológicas de MS.

A falta de chuvas no ano passado teve impacto econômico direto em relação ao plantio de soja, com dois grandes veranicos que prejudicaram a fase de enchimento de grãos. Na visão da especialista do Cemtec, Francine Rodrigues, por enquanto o cenário é positivo para a safra 2019/2020. “As condições beneficiam a soja. As chuvas estão estimadas acima da média e temperatura ligeiramente abaixo da média até março 2020”.

A médio e longo prazo, relatório do Centro Americano de Meteorologia e Oceanografia (NOAA), aponta que a chance de continuidade da neutralidade climática – ausência de fenômenos como El Niño ou de La Niña – é de 70% até o fim do verão, em 20 de março, e de 65% até o outono, que termina em 21 de junho de 2020. Essa condição tem como principal característica, períodos de oscilações, que intercalam períodos secos e quentes, com tempo mais chuvoso com temperaturas agradáveis.

Milho – O atraso de 14 dias no plantio da soja – em relação à safra 2018/19 – devido as condições climáticas, deve impactar na safra de milho safrinha. “No ano passado 70% da área de soja recebeu milho, nesse ano já esperamos um nível de comprometimento da área a ser plantada e os preços em alta, devido ao baixo estoque no período de passagem”, explica o titular da Secretaria Estadual Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck.

As exportações de milho atingiram níveis históricos em Mato Grosso do Sul, em 2019, bem como o consumo do grão, contribuindo para baixa quantidade de milho na passagem de uma safra para a outra. Em 2020 a expectativa é de que o consumo continue em alta, influenciado pela produção de bovinos, suínos e aves aquecida no Estado, o que deve afetar fortemente nos preços.

Clima é favorável para safra de soja em Mato Grosso do Sul

Comentários