A construção de três pontes de concreto sobre o Rio Anhanduí, no limite dos municípios de Campo Grande e Nova Alvorada do Sul, pautou reunião do governador Reinaldo Azambuja com os prefeitos Marquinhos Trad e José Paulo Paleari na manhã desta segunda-feira (8).

Apresentados na Governadoria, os projetos pedem a construção de duas pontes de 70 metros de comprimento nas estradas CG-284 e CG-342 e uma terceira, de 50 metros de comprimento, em um ramal da CG-342. Pelo menos R$ 10 milhões são necessários para executar as obras.

“Pactuamos investimentos importantes para as duas cidades. Governo do Estado vai fazer duas pontes sobre o Rio Anhanduí e o prefeito Marquinhos fará a teceria ponte. É um sonho antigo de toda aquela região, de todos os moradores. Aqui selamos mais uma parceria”, disse o governador.

“É um trabalho coletivo. Nós, os prefeitos e o governador, pensamos no bem estar do Estado e das cidades”, destacou Marquinhos Trad. “Estamos realizando um sonho da região da Agrovila Zuzu e do Distrito Pana, que vai trazer muito desenvolvimento”, completou José Paulo Paleari.

Segundo informou a Prefeitura de Campo Grande, a região que faz limite com Nova Alvorada do Sul concentra mais de 15 mil hectares de área plantada com grãos, como soja e milho. As pontes são estratégicas para o escoamento da produção e contribuem ainda para o transporte escolar.

Com R$10 milhões, três pontes podem ser construídas ligando Capital a Nova Alvorada do Sul

Mais pontes em MS

A substituição de pontes de madeira por estruturas de concreto feitas em materiais que dão maior durabilidade, requerem menos manutenção e oferecem maior segurança aos usuários é uma das principais políticas públicas da gestão do governador Reinaldo Azambuja.

No primeiro mandato, de 2015 a 2018, foram entregues cerca de 100 estruturas em todo o Mato Grosso do Sul. A previsão é de que até 2022 o Governo do Estado conclua outras 163 pontes de concreto. As obras fazem parte dos programas “Mais Pontes” e “Governo Presente”.

Reunião

Também participaram do encontro de trabalho o secretário interino de Estado de Infraestrutura, Luis Roberto, o diretor-presidente da Agesul (Agência Estadual de Empreendimentos), Emerson Antônio, e o secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos da Capital, Rudi Fiorese.

Comentários