Universidade Federal da Grande Dourados.(Foto: Divulgação/UFGD)

A comunidade acadêmica da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) aprovou na manhã desta quinta-feira (04) uma manifestação de apoio irrestrito ao docente Sikiru Olaitan Balogun, professor visitante da universidade que foi vítima do crime de injúria racial em estabelecimento comercial de Dourados, nesta quarta-feira (03).

A proposição, feita pelo reitor Jones Dari Goettert, foi apreciada e aprovada durante reunião do Conselho de Ensino, Pesquisa, Extensão e Cultura (CEPEC), um dos conselhos superiores da UFGD formado por representantes de docentes, técnicos administrativos e estudantes. O documento ainda manifesta o repúdio da comunidade acadêmica a todas as formas de preconceito, discriminação, racismo e violência que têm sofrido pessoas das mais diversas condições étnico-raciais, sobretudo negras e negros e indígenas, no Brasil e em outros países.

Da mesma forma, outras unidades da UFGD emitiram notas reprovando a atitude das pessoas que agrediram e ofenderam o professor e manifestando-se contrárias a quaisquer tipo de ato de violência racista. Os textos encontram-se na íntegra ao fim da matéria.

INJÚRIA RACIAL

Conforme Boletim de Ocorrência lavrado pela polícia, o professor fazia compras com sua família em um supermercado, em Dourados, e por ter confundido seu carrinho de compras com o de outras pessoas, seu filho de seis anos, que tomava conta das compras enquanto o pai se ausentou por instantes, foi agredido por uma senhora que alegou estar a criança “roubando” seu carrinho. Diante da situação relatada pelo filho, o docente buscou esclarecimentos junto à agressora e foi, também, agredido, inclusive fisicamente, por seu marido.

Sikiru Olaitan Balogun é doutor em Ciências da Saúde, na área de Farmacologia de Produtos Naturais, tendo cursado, também, pós-doutorado na mesma linha de pesquisa. O docente é nascido na Nigéria e vive no Brasil há 11 anos, sendo dois deles em Mato Grosso do Sul. Atua na UFGD como professor visitante na Faculdade de Ciências da Saúde e dá aulas no Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde.

MANIFESTAÇÕES

ufgd

Captura de tela da resoluçãoAto de Repúdio – Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (NEAB/UFGD)

O Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros da Universidade Federal da Grande Dourados (NEAB/UFGD) vem a público, por meio desta nota, manifestar total repúdio contra os atos de violências racistas sofridas pelo professor doutor, desta universidade, Sikiru Olaitan Balogun e sua família em um supermercado da cidade de Dourados/Mato Grosso do Sul. Atos como estes ferem a nossa dignidade humana, faz perceber que o racismo é uma estrutura que opera em todas as esferas da sociedade brasileira, sejam elas, atitudes individuais ou coletivas, por vezes, naturalizadas no cotidiano como aceitáveis.

O racismo como prática afeta a vida de milhares de negros e negras e, isso é profundamente lamentável, cruel e desumano. Chama a atenção para urgência em discutir os modos como o racismo e toda forma de discriminação operam na vida em sociedade e criam desigualdades injustas. Evidencia a necessidade de ações concretas e efetivas que visem o enfrentamento ao racismo e a superação das desigualdades étnico-raciais e de gênero em todas as esferas de representação social, cultural e política, nesta caminhada a educação é um forte instrumento nas lutas antirracistas. 

DEMOCRACIA SEM PAUTAS ANTIRRACISTAS OU ANTIPATRIARCALISTAS É AUTORITARISMO E DITADURA, por isso, com este ato, nos do NEAB/UFGD solidarizamos com todos/todas e todes que têm sofrido algum tipo de constrangimento e discriminação, reafirmamos o compromisso com a promoção da igualdade étnico-racial, de gênero, sexual, religiosa e o repúdio a toda e qualquer manifestação de preconceito para com negras, negros, indígenas, quilombolas, mulheres, homossexuais e todos os grupos sociais historicamente discriminados nesse país.

Dra. Claudia Cristina Ferreira Carvalho
Coordenadora do Núcleo de Estudos Afro-brasileiro da Universidade Federal da Grande Dourados

Carta de Repúdio – Faculdade de Ciências da Saúde (FCS/UFGD) e Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde (PPGCS/UFGD)

A Faculdade de Ciências da Saúde da UFGD vem manifestar veementemente o seu repúdio em decorrência dos fatos ocorridos no dia 03/08/2022 em que o professor Sikiru Olaitan Balogun e a família sofreram ações de agressão e injúria racial em um comércio no município de Dourados.

Ocorre que tais ações não coadunam com os princípios difundidos pela Faculdade de Ciências da Saúde e pela UFGD de humanidade, integração, pluralidade, o bem comum da sociedade e o ativo combate a intolerância, a discriminação e o preconceito.

É inadmissível que no Brasil, país cuja maioria da população é autodeclarada negra, ainda tenha que conviver com racismo que humilha as pessoas negras cotidianamente.

Esperamos que esse fato seja investigado por todos os órgãos competentes e que os responsáveis por essa atitude criminosa sejam responsabilizados na forma da lei.

Em apoio, o Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde manifesta-se da seguinte maneira:

O Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da Universidade Federal da Grande Dourados manifesta seu mais total repúdio ao ato de intolerância e de preconceito racial perpetrados contra um dos nossos professores e sua família, durante uma visita a um supermercado da cidade.

O racismo é crime! Nenhuma pessoa deve ser desrespeitada e nenhuma forma de preconceito deve ser banalizada. Os direitos humanos não podem ser reprimidos e atitudes criminosas de racismo devem ser firmemente combatidas.

São inaceitáveis essas atitudes de ódio e violência. Denunciamos a covardia das pessoas que praticaram esses atos de desigualdade racial.

Como sonhou Martin Luther King: “Eu tenho um sonho que meus quatro pequenos filhos um dia viverão em uma nação onde não serão julgados pela cor da pele, mas pelo conteúdo do seu caráter”.

Sonhemos Juntos!!!

Faculdade de Ciências da Saúde/UFGD
PPGCS/UFGD

Comentários