Chegada da Internet em Três Corações. (Foto/Divulgação)

As quase 160 famílias que residem na Comunidade Rural Três Corações, localizada a 120 quilômetros da área urbana de Campo Grande, contam a partir desta semana com os benefícios de conexão à internet em banda larga via satélite totalmente gratuito. Das 24 comunidades rurais atendidas e fomentadas pela Secretaria Municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio (Sidagro), a Três Corações é a mais distante.

A indicação da comunidade Três Corações foi realizada pela Superintendência de Fomento ao Agronegócio da Sidagro, que considerou o local ideal para implantação dessa melhoria, em razão da localização que permite utilização de telefone ou internet apenas via satélite.

“Estamos radiantes com essa tecnologia à nossa disposição”, afirma eufórica Francisca Josefa Arguelo Lima, presidente da associação de moradores na comunidade rural Três Corações. Ela explica que as crianças da comunidade dependem da internet para desenvolver seus estudos e aqui é lugar de difícil acesso. Estamos gratos por toda ajuda da Secretaria e ainda mais por ter indicado nossa comunidade para instalação dessa tecnologia.

Inclusão Digital

A comunidade Três Corações recebeu o benefício através de uma ação do Governo do Estado, por intermédio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), que coordena projeto de tecnologia aprovado junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Mctic e Finep).

De posse dessa tecnologia, a Semagro consultou a Sidagro qual seria o melhor local para instalar o equipamento, numa das comunidades rurais administradas pela Prefeitura.

“Esta iniciativa visa aumentar a rede de inclusão digital que tem como objetivo geral criar conhecimento e oportunidades de negócios para as potencialidades das regiões onde as salas estarão instaladas, visando o desenvolvimento sustentável do Mato Grosso do Sul”, afirma Marina Dobashi, coordenadora de Ciência, Tecnologia e Inovação da Semagro.

Comentários