29/05/2020 11h15
Da redação

O Conselho da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS), reunido por videoconferência nesta sexta-feira (29), deliberou por criação de Comissão para Análise da Produtividade do Judiciário Estadual, Federal e Trabalhista.

A Comissão é composta pelos seguintes Conselheiros: Alexandre Beinoti (Três Lagoas), Cerilo Casanta Calegaro Neto (Campo Grande), Claudia Elaine Novaes Assumpção Paniago (Campo Grande), Etiene Cintia Ferreira Chagas (Nova Andradina), Horêncio Serrou Camy Filho (Dourados) e Nina Negri Schneider (Ponta Porã). O Presidente será o Conselheiro Cerilo Casanta Calegaro Neto.

De acordo com o Presidente da OAB/MS, Mansour Elias Karmouche, “a Comissão irá analisar, comparativamente, a produtividade dos magistrados por meio do Relatório Justiça em Números do CNJ e dos atos que foram realizados durante esse período da pandemia em relação anos anteriores. É uma medida importante para que possamos mostrar a advocacia, com segurança, que a produtividade realmente cresceu no teletrabalho, foi superior ao período normal e que, de fato, se criaram mecanismos eficientes para desafogar e diminuir a morosidade do Judiciário”.

Desde o início da pandemia causada pelo Coronavírus (COVID-19), o Judiciário regulamentou o teletrabalho. No entanto, a OAB/MS tem recebido diversas reclamações de advogados e advogadas, tanto da Capital como Interior, acerca da falta de movimentação processual e de um canal de comunicação efetivo. Eles estão encontrando dificuldades para entrar em contato com os magistrados e servidores, principalmente pelo telefone.

Diante disso, na última quarta-feira (27), a OAB/MS solicitou informações sobre a produtividade individual dos magistrados e servidores durante o período de teletrabalho. Agora, a Comissão irá analisar esses números e, o mais rápido possível, fornecer relatório das atividades à advocacia.

Divulgação

Comentários