21.8 C
Campo Grande
terça-feira, 23 de abril, 2024
spot_img

Córrego Limpo: Sem nada de ótimo, mas há 81% de boa qualidade nas águas de Campo Grande

A prefeitura de Campo Grande oficializa publicação nesta sexta-feira (22) – Dia Mundial da Água – o 15º Relatório Anual da Qualidade das Águas Superficiais da Capital. O documento, do Programa Córrego Limpo, traz importantes dados relacionados à preservação dos córregos e rios da Capital em 2023. O município não tem nenhum lugar com ótima qualidade, sendo pouco mais de 80% considerada boa, mas ainda tem quase 20% de regular ou ruim situação.

Veja abaixo, números que coloca a água do município, ante total, com 81% de boa qualidade entre 83 ponto pesquisados. Mas, a Capital, que ainda é uma cidade considerada de médio porte, tem 17% de regular e há 2% de péssima qualidade da águas entre os mananciais municipal, conforme Relatório da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana).

O ano de 2023 atingiu, em 15 anos de pesquisa, o maior índice positivo. O relatório contempla as ações desenvolvidas através do Programa Córrego Limpo, desde 2009, em parceria com a empresa concessionária de água e esgoto Águas Guariroba. O Programa visa o monitoramento da qualidade das águas superficiais e para isto, são realizadas coletas em pontos de monitoramento no Rio Anhanduí e nos demais córregos urbanos.

Para a secretária municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana, a relevância quanto à ininterrupção do Programa resulta em qualidade de vida tanto à população como para a fauna local.

Córrego Limpo: Sem nada de ótimo, mas há 81% de boa qualidade nas águas de Campo Grande

“Este é um trabalho diário, de monitoramento e conscientização. Reforçamos que as ações promovidas pelo Programa Córrego Limpo não apresentaram resultados de imediato, as melhorias na qualidade dos recursos hídricos foram obtidas com a crescente conscientização da população através da permanência e constância da fiscalização ostensiva combatendo ações irregulares, como lançamentos irregulares de água servida e de esgoto. Sendo importante frisar que, os resultados são esperados em cenários de longo prazo. Conforme estamos colhendo ao longo dos anos. Inclusive com o aparecimento de animais em muitos pontos monitorados”, avalia

Resultados e conhecimento da população

As coletas iniciaram em 2009 com um projeto-piloto e a partir de 2010 passou a ser realizado o monitoramento em 67 pontos, e atualmente são 83 pontos distribuídos em nove microbacias, ou seja, um aumento de 19 pontos de monitoramento.

Como forma de divulgar os resultados à população, de maneira simples e de fácil compreensão, foi adotado o Índice de Qualidade das Águas, o IQACETESB (Índice de Qualidade das Águas), adaptado pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, para a apresentação dos dados, que apresenta que ao longo dos anos, houve a predominância da condição de qualidade BOA para as águas superficiais do Município.

Tabela 01 – Resultado de qualidade da água para os pontos de monitoramento, segundo IQACETESB, em porcentagem.

AnoQuantidade de Pontos de monitoramentoQualidade da água superficial, de acordo com o resultado do IQA (%)
ÓtimaBoaRegularRuimPéssima
2010670,460,126,313,20
2011790583480
2012790593371
2013790672940
2014790643150
2015790682570
2016810672850
2017810692650
2018810682570
20198306623101
202083*06423121
202183**07216120
202283***0652780
2023830811720

Ano 2023 com maior índice positivo

Córrego Limpo: Sem nada de ótimo, mas há 81% de boa qualidade nas águas de Campo Grande

Em comparação aos anos anteriores, mesmo com o aumento de pontos de coleta e a dificuldade em se coletar as amostras em alguns pontos específicos, no decorrer do ano de 2023, foi o de maior indicies de qualidade classificada como BOA (81%) em comparação aos anos anteriores e o menor índice da qualidade RUIM (2%.).

A avaliação realizada e os resultados obtidos demonstram que, as ações desenvolvidas pelo Programa Córrego Limpo contribuem para a melhora da qualidade dos córregos do Município.

A prefeita Adriane Lopes, destaca o comprometimento da gestão em prol da preservação ambiental, em especial da água.

“É de fundamental importância que as ações de preservação ao meio ambiente, em especial de monitoramento da qualidade das águas superficiais sejam constantes e de forma a disponibilizar dados históricos para que possam nortear ações atuais e futuras administração municipal, permitindo aos gestores a possibilidade de trabalhar para garantir um meio ambiente ecologicamente equilibrado para as presentes e futuras gerações”, disse a prefeita.

Inclusive o que foi observado pela moradora e vice-presidente da Associação de Moradores do Aero Rancho setor 4, Aparecida Jovino, que pontua que no trecho do Rio Anhanduí, próximo à sua residência, é visível a presença de diversos animais e árvores frutíferas.

“Temos a presença de peixes, cágados, capivaras, cutias e tem moradores que afirmam que tem sucuri aqui na região. Com o passar dos anos os moradores foram plantando árvores de acerola, laranja, graviola, caju, manga, jaca que hoje todos podem usufruir. É importante termos um espaço agradável e preservar o Rio Anhanduí só melhora a nossa qualidade de vida e saúde”.

Fiscalização

Córrego Limpo: Sem nada de ótimo, mas há 81% de boa qualidade nas águas de Campo Grande

Além do monitoramento da qualidade da água, o Programa Córrego Limpo atua por meio da fiscalização nos imóveis. Realizando vistorias em residências, condomínios, estabelecimentos comerciais, indústrias, entre outros, para verificar se há irregularidades.

Os irregulares são de a não conexão à rede coletora de esgoto (onde a mesma existir), o lançamento indevido de água servida em logradouro público ou na rede de drenagem (águas de tanques, pias, máquinas de lavar ou qualquer água que contenha produtos químicos) e o lançamento de água pluvial (água de chuva) na rede coletora de esgoto.

Muitos dos locais fiscalizados são informados através de denúncias de lançamento irregulares de água servida ou esgoto que são formalizadas via Central de Atendimento 156.

Durante o ano de 2023 foram realizadas 6.600 vistorias pela equipe do Programa Córrego Limpo no perímetro urbano de Campo Grande. O que acabou resultando em 1.195 Notificações emitidas pela Semadur.

Córrego Limpo: Sem nada de ótimo, mas há 81% de boa qualidade nas águas de Campo Grande

O Programa Córrego Limpo tem como sua finalidade proporcionar a população melhor qualidade de vida e melhorando à fauna ao redor estes córregos/rio, mantendo um monitoramento bem qualificado com objetivo de programar ações que coíbam os lançamentos indevidos de água servida.

Apresentação dos resultados

Visando transparência e o de facilitar o entendimento por parte da população, estão disponibilizadas pela cidade, em alguns pontos de monitoramento, 19 placas informativas sobre a qualidade da água naquele ponto, contendo nome, classificação da qualidade da água, trimestre e ano da coleta e análise a qual pertence o resultado.

A classificação é representada por cores, onde péssima é a cor preta; ruim é a cor vermelha; regular é a cor amarela; boa é a cor verde e ótima é a cor azul. Demonstrando para a população o quanto é importante preservar a água, um recurso natural fundamental à vida.

Vale ressaltar que as placas possuem um QRCode onde a população poderá acessar o site da prefeitura e verificar a qualidade de todos os pontos de monitoramento e os relatórios anuais desde 2009.

Serviço

Sobre os dados do quadro acima:

*Vale ressaltar que não houve coleta no 2º trimestre/2020 em todos os pontos de coleta, no 3° trimestre/2020 somente ocorreu coleta em 80, e no 4º trimestre/2020 em 76 pontos, estas coletas não foram realizadas devido à pandemia da Covid-19, assim o cálculo de porcentagem foi realizado conforme a quantidade de coleta realizada durante o ano.

** Importante mencionar que em 2021 tivemos problemas com acesso ao local de coleta, dessa forma o ponto ANH13 não foi coletado no 2° trimestre e os pontos BOT05 e COQ 2 não foram coletados no 4° trimestre, assim o cálculo de porcentagem foi realizado conforme a quantidade de coleta realizada.

*** É valido ressaltar que em 2022 tivemos problemas com acesso ao local de coleta, dessa forma os pontos ANH13 e CAS01 não foram coletados no 1° trimestre, assim o cálculo de porcentagem foi realizado conforme a quantidade de coleta realizada.

Fale com a Redação