22.8 C
Campo Grande
sexta-feira, 12 de abril, 2024
spot_img

Defensoria trata sobre moradia para pessoas em situação de rua na Capital

A Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul realizou no dia 28 mais uma reunião estratégica para tratar das pessoas em situação de rua da Capital.

O encontro, promovido pelo Núcleo Institucional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos (Nudedh), coordenado pela defensora pública Thaisa Raquel Medeiros de Albuquerque Defante, teve como principal pauta debatida os Programas habitacionais existentes em funcionamento no município e estado, destinados a pessoas em situação de rua e seu fluxo de preenchimento.

“As reuniões têm sido sistemáticas para que possamos tratar cada pauta de forma mais completa possível. Ao enfatizarmos que a rua não é moradia de ninguém, temos a moradia como direito fundamental para todas as pessoas. Nossa discussão, assim, foi a respeito da habitação e rede de acesso para esse público”, afirmou.

A reunião contou com a participação da coordenadora do Núcleo de Fazenda Pública, Moradia e Direitos Sociais (Nufamd), defensora Regina Célia Rodrigues Magro, além de servidoras e servidores do município e Estado.

Rua não é casa

Vale lembrar que a reunião integra uma série de ações e tratativas da Defensoria voltadas as pessoas em situação de rua.

Entre o fim do ano passado e o início deste ano, a instituição já esteve reunida com todos os órgãos envolvidos com a questão para articular a futura realização de um censo voltado apenas a essa parcela da população em Campo Grande.

O objetivo, segundo a coordenadora, é construir políticas públicas realmente efetivas a partir dos resultados.

A primeira reunião foi realizada no dia 09 de novembro de 2023 – confira aqui

Já a segunda aconteceu no dia 26 de fevereiro deste ano – confira aqui

‌Paralelo as articulações, a instituição está com uma campanha inédita que arrecada pares de chinelo para essas assistidas e assistidos. Para doar, basta ir até uma unidade e depositar o item em bom estado de uso em uma das caixas coletoras.

Fale com a Redação