11/04/2020 14h40
Da redação com informações da assessoria

O deputado Barbosinha repercutiu os protestos e manifestações de indignação de lideranças e moradores das aldeias Jaguapiru e Bororó, que denunciaram a falta de água nas casas da Reserva Indígena de Dourados nesta sexta-feira (10).

“Não tem água no cano e quando chega só vem algumas gotinhas. É o dia inteiro de gente com baldes tentando pegar alguma coisa na escola, mas não dá pra todo mundo”, reclamou a liderança tradicional da aldeia, o ex-capitão Tibúrcio de Souza, ao denunciar a falta de líquido, tão recomendado pelas autoridades sanitárias nesse momento de pandemia da Covid-19.

Para o deputado Barbosinha, o problema da falta de água nas aldeias de Dourados é recorrente. “Sempre recebemos reclamações, já encaminhamos vários pedidos ao Governo, por meio de indicações na Assembleia e agora estamos reforçando esse pleito, porque essa situação demonstra falta de compromisso da Sesai (a Secretaria especial de Saúde Indígena) com a preservação da vida dos nossos irmãos indígenas”.

De acordo com o deputado, uma alternativa para contornar essa situação seria a abertura de um contrato, permitindo que a Sanesul, a empresa concessionária dos serviços de produção e distribuição de água e de coleta e tratamento de esgoto responsável por esse serviço na maioria dos municípios do Estado, assumisse essa tarefa também nas aldeias.

“Estou sugerindo que se contrate os serviços da Sanesul, que detém o know how nessa área, e que já atende toda a cidade de Dourados, para também encampar a produção e distribuição de água das aldeias, principalmente nesse momento, de coronavírus, onde, contrariando todas as indicações do Ministério da Saúde e das autoridades mundiais para reforçarmos esse cuidado, vemos a comunidade indígena desassistida e fragilizada pela falta de compromisso do órgão que deveria cuidar dessa questão”, assinalou o deputado Barbosinha.

Divulgação

Comentários