Os deputados Barbosinha (DEM), Zé Teixeira (DEM) e Neno Razuk (PTB), todos oriundos de Dourados, usaram a fala durante sessão ordinária desta terça-feira (14), para criticar a falta de serviços básicos para atender a população Douradense, questionando a atuação da atual gestão municipal do segundo maior município de MS.

Quem puxou o assunto foi o deputado Barbosinha, que citou desde o matagal ocupando espaços dos canteiros centrais, até a falta de cirurgias e leitos de Saúde para a população. “Não apenas a falta de limpeza, mas a Saúde Pública está com falta de itens básicos como suturas. Às vezes você tem equipe, mas não tem os itens de atendimento e impacta tudo. Nós também somos impactados pelo caos vivido, com pessoas nos ligando desesperadas. Repercute nos 30 municípios da região. Não tem medicamentos, não tem médicos especialistas, teve apagão no Hospital da Vida, enfim, falei com um médico que disse que em 30 anos de atuação nunca viu do jeito que está”, repercutiu o deputado.

Para o deputado Zé Teixeira há incongruências entre prestadores de serviço e a gestão municipal. “Tem uma história muito mal contata na gestão da saúde com fundação assumindo um compromisso que não é dela, mas sim da prefeitura. É preciso tomar providência, porque enquanto isso o povo sofre com a má gestão”, afirmou.

Deputados 'douradenses' questionam administração municipal de Dourados
Neno Razuk concordou com os deputados Zé Teixeira e Barbosinha

Neno Razuk concordou. “A situação vivida não pode ser ignorada. Todos os dias vemos as pessoas desesperadas por cirurgias, falta de equipamentos básicos, tenho certeza que necessita de uma atenção maior por parte do Governo do Estado. Nós, parlamentares de Dourados, devemos tomar pé dessa situação, participar mais efetivamente, fiscalizando a saúde de Dourados. Estou à disposição para participar nisso”, afirmou Neno.

Barbosinha agradeceu os discursos em concordância com sua manifestação e pediu providências da Prefeitura de Dourados e auxílio do Governo do Estado para mais recursos para a região.

Fonte: Ascom AL-MS

Comentários