28.8 C
Campo Grande
quarta-feira, 24 de julho, 2024
spot_img

Desenrola Pequenos Negócios renegociou R$ 19,4 milhões em dívidas em MS

Dados da Febraban indicam que ao menos 30 mil clientes em todo país já adotaram a iniciativa que restabelece a saúde financeira de micro e pequenas empresas

Cerca de R$ 19,4 milhões em dívidas foram renegociados por clientes do Mato Grosso do Sul por meio do Desenrola Pequenos Negócios um mês após o lançamento, segundo dados divulgados nesta semana pelo Governo federal.

Neste período, foi registrada a adesão de 539 clientes no estado da região Centro-Oeste, que resultaram em 628 contratos firmados no programa. Os números foram apresentados pela Febraban (Federação Brasileira de Bancos).

REGRAS 

O programa possibilita a renegociação de dívidas não quitadas até 23 de janeiro deste ano. Podem participar empresas com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões. A iniciativa foi desenvolvida pelo Governo Federal com base na experiência na Faixa 2 do Desenrola para pessoas físicas. A abrangência do programa, presente em todos os estados, garante que o apoio chegue a empreendedores de diferentes regiões e impulsione o desenvolvimento local.

QUEM PARTICIPA 

A iniciativa para auxiliar pequenos negócios a superar dificuldades financeiras conta com a participação das principais instituições financeiras do país. São sete bancos participantes, que representam 73% do total da carteira de crédito de micro e pequenas empresas nacionais.

NACIONAL 

O Desenrola Pequenos Negócios registrou, em todo país, um volume financeiro renegociado de R$ 1,25 bilhão até 12 de junho. No total, cerca de 30,6 mil clientes foram beneficiados pela iniciativa e já renegociaram 39 mil contratos. De acordo com a Febraban, houve aumento de 30,3% no volume financeiro negociado na comparação com o primeiro levantamento, com dados até 5 de junho.

COMO FAZER – Para aderir, o microempreendedor ou pequeno empresário deve contatar a instituição financeira onde tem a dívida. As condições e prazos para a renegociação serão definidos pelas instituições participantes e poderão ser acessados pelos canais de atendimento oficiais, como agências, internet ou aplicativos móveis.

Fale com a Redação