As efemérides são recorrentes em nosso País para celebrar ou relembrar datas que marcaram a nossa história de 521 anos. Nem todos sabem que 15 de julho é uma dessas datas, que comemora o Dia Nacional do Homem no Brasil. Ao escolher o dia 15 de julho de 2021 para divulgar esta carta aberta, o Instituto Lado a Lado pela Vida (LAL) quer ir além de uma manifestação pública dedicada aos homens. Queremos instigar, provocar e fazer um chamamento para juntos tomarmos atitudes e mudarmos estatísticas recorrentes e que em nada sugerem celebração.

Isso por que nos perguntamos: o que é ser homem no Brasil hoje? Por que tantos ainda morrem todos os anos sem acesso à saúde? Por que eles têm que viver em média, sete anos a menos que as mulheres? Por que temos que nos acostumar com as estatísticas? 

Apontar o dedo, explicitar o que não vai bem ou o que está errado têm sido prática recorrente de movimentos da sociedade civil e de líderes de distintos segmentos da sociedade. Outras ações, como muitas que vimos durante a pandemia da Covid-19, mobilizaram a sociedade e contribuíram para resultados positivos. É isso o que pretendemos alcançar com esta carta aberta

Como nosso nome diz, somos a instituição brasileira que atua Lado a Lado pela Vida. E neste 15 de julho de 2021, nossa chamada é para uma atuação conjunta, coordenada e propositiva em prol da vida de 48,2% da população brasileira, segundo o Censo de 2019: os homens. E por que fazer esse chamado?

Segundo o Ministério da Saúde (MS), homens realizam seis vezes menos exames preventivos do que as mulheres. Fumam mais, bebem maiores quantidades de álcool e têm hábitos mais sedentários, além de estarem mais expostos a riscos e negligenciarem sintomas de adoecimento. Ainda, de acordo com o Centro de Referência em Saúde do Homem de São Paulo, 70% das pessoas do sexo masculino que procuraram atendimento médico o fizeram por influência da esposa/companheira ou dos filhos.

Esses são dados que reforçam argumentos de que precisamos parar de falar e agir. O nosso Instituto nasceu em 2008 para atuar em prol da saúde do homem e temos enorme orgulho de sermos os criadores do maior movimento de conscientização sobre saúde dos homens no Brasil: a campanha Novembro Azul, que muitos pensam ser uma iniciativa vinda do exterior. Esse é um grande engano e a efeméride que celebramos todos os dias 1º de Novembro é a abertura do Novembro Azul! Foi em 2011, que a campanha foi lançada, nas redes sociais do Instituto Lado a Lado pela Vida.

Falar sobre câncer de próstata e da importância dos exames de PSA e toque retal para identificar tumores que em 2020 acometeram mais de 65 mil homens e, em 2019, mataram cerca de 16 mil é hoje um assunto natural. Há mais de uma década atrás não foi fácil. Vencer preconceitos foi só um dos obstáculos a superar. E, vejam só, como a história mudou! Milhares de homens foram salvos e podem, hoje, comemorar seu dia e celebrar suas conquistas pessoais e profissionais.

Dedicar ações e investimentos em um único mês para alertar e comunicar sobre a doença é uma ação extraordinária, que ano após ano impacta milhões de pessoas. São precisamente 82 milhões de pessoas. Mas não é somente em novembro que nossas atividades acontecem. Trabalhamos pela saúde integral dos homens de janeiro a janeiro.

Trabalhamos diariamente para erradicar o câncer de pênis, que anualmente mutila 1.600 homens no Brasil que, por falta de informação, deixam de realizar a higiene íntima adequada ou não tomaram a vacina do HPV; ou chamar a atenção para o diagnóstico precoce do câncer de pulmão, diagnosticado em 17.760 homens em 2020 e, também, para alertar os homens da importância da prevenção, dos hábitos saudáveis e dos cuidados com o coração, destacando a adesão aos tratamentos para controle do colesterol, da hipertensão, do diabetes, da insuficiência cardíaca e outros fatores de risco ou doenças como a obesidade que já é uma epidemia em terras brasileiras.

Esta carta aberta poderia se estender por páginas e páginas se pontuássemos cada atividade que o LAL tem desenvolvido, mas o que pretendemos com ela é convidar os envolvidos em políticas públicas e privadas de saúde e a mídia em geral, a trabalhar conosco. Queremos que nosso telefone toque, que nosso e-mail receba convites de secretários de saúde dos estados e municípios; de dirigentes de planos de saúde, das agência reguladoras e dos gabinetes dos parlamentares para que, juntos, passemos da fase de destacar estatísticas ruins como as descritas nesta CARTA ABERTA, para que nos próximos dias 15 de julho possamos divulgar a queda de mortes de homens por câncer de pulmão, a redução de amputações de pênis e anunciar melhoria dos índices de comorbidades e de doenças incapacitantes entre os homens brasileiros.

Sugerimos mostrar o quanto ações propositivas e coordenadas entre o governo, a iniciativa privada e a sociedade civil também impactam positivamente a sustentabilidade financeira dos sistemas de saúde, público e privado.

E queremos muito mais! Desejamos que os homens tenham maior acesso, com equidade e qualidade de atendimento nas unidades de saúde e nos tratamentos disponíveis; queremos políticas públicas e educação que contribuam para a diminuição das mortes na juventude e o crescimento da consciência de cada homem sobre a importância de cuidar do seu corpo e de sua mente!    

Para isso, precisamos estar lado a lado, conectados e prontos para ouvir e transformar cenários que causam dor e mortes de tantos homens por este Brasil afora. Podemos transformar o cenário da saúde do homem e proporcionar maior expectativa de vida para eles! Basta entendimento, disposição, comprometimento de todos e resposta a esse Chamado que busca beneficiar os mais de 102 milhões de homens neste país! Vamos Lado a Lado?

Marlene Oliveira – Fundadora e Presidente – Instituto Lado a Lado pela Vida

Comentários