MS Gás. (Foto/) Divulgação)

Mais de 100 propostas seguem no processo que contempla início de fornecimento de gás natural já a partir de 2022 

As Distribuidoras de Gás Canalizado do Centro-Sul do país selecionaram 11 supridores para seguirem na etapa de negociação da Chamada Pública Coordenada (CP22). Entre os selecionados estão os produtores Shell e Petrobras, os comercializadores GasBridge, Trafigura, EBrasil, Compass, New Fortress e Nimofast, dois produtores de biometano, CRVR e Cocal, e a Tradener, produtora de gás em terra (onshore). Ao todo, mais de 100 propostas seguem no processo de negociação, a partir deste mês de junho. O objetivo é que, ao longo do segundo semestre, as distribuidoras celebrem novos contratos de suprimento, contemplando períodos de fornecimento de gás natural já a partir de 2022. 

“Nosso objetivo com a Chamada Pública Coordenada entre as distribuidoras do Centro-Sul é ter novas condições de fornecimento que possibilitem o desenvolvimento do mercado, com a diversificação de agentes supridores, e que melhor atenda às necessidades dos nossos consumidores, chegando a um gás com preço mais competitivo”, diz Rafael Lamastra Jr, Presidente do Conselho de Administração da Abegás e Diretor-Presidente da Compagas. 

O número de proponentes selecionados por cada distribuidora varia conforme as condições e características de suprimento futuro previstas em seus respectivos editais. As propostas que avançam para o processo de negociação incluem diferentes modalidades de atendimento, vinculadas à produção nacional, importação via gasoduto e via gás natural liquefeito (GNL) e também ao biometano. Cabe destacar que nas negociações serão considerados, além do preço, as condições operacionais e comerciais e as garantias de fornecimento ofertadas pelos supridores.  

“Considerando a demanda do mercado e os projetos de ampliação da oferta da rede de Gás Natural, a Chamada Pública é essencial para garantir o suprimento adicional para que possamos atender cada vez mais consumidores. Para garantir a qualidade, essa etapa de análise de propostas e negociação é de grande importância”, afirma Willian Anderson Lehmkuhl, Presidente da SCGÁS. 

A Chamada Pública Coordenada (CP22) contou com um total de 13 potenciais supridores participantes, com o recebimento de mais de 130 propostas de suprimento para análise. O resultado, superior ao primeiro processo realizado pelas concessionárias, demonstra a clara contribuição das distribuidoras em prol da abertura do mercado de gás no país, mediante a ampliação do número de potenciais agentes e fontes supridoras.  

“Estamos acompanhando muito atentamente essa Chamada Pública, com intuito de ampliar ainda mais as possibilidades de desenvolvimento atrelado ao Gás Natural em Mato Grosso do Sul. Certamente é um grande avanço o número de interessadas em fornecer o gás, e essa negociação contribui diretamente no processo de crescimento econômico do Estado”, diz Rui Pires dos Santos, Diretor-Presidente da MSGÁS. 

O Diretor Técnico e Comercial da MSGÁS, Bernardo Celestino Prates,  também destacou a importância da CP22. “Essa iniciativa vai além do discurso de trazer condições para um mercado de gás natural competitivo e, efetivamente, cria condições para que os diversos potenciais supridores apresentem suas propostas, ao mesmo tempo em que identifica e endereça soluções de eventuais gargalos ainda existentes para que estes novos entrantes possam atuar no mercado, aumentando de fato a oferta de suprimento e, por conseguinte, gerando melhores condições para o consumidor final”.  

Mesmo com o bom número de propostas recebidas, as distribuidoras alertam que desafios vinculados à regulação do transporte ainda necessitam ser superados para a formação de um ambiente atrativo, viável e competitivo para todos os agentes e, consequentemente, com vantagens para os mercados consumidores. “O grande número de participantes demonstra que hoje o gargalo para aumentar o uso de gás natural e estimular a economia da região se dá na questão do transporte. É mister que se busque alternativas para solucionar esta limitação”, destaca Carlos Camargo de Colón, Diretor-Presidente da Sulgás. 

Para Alex Gasparetto, Diretor-Presidente da GasBrasiliano, a clara demonstração de interesse por parte de potenciais supridores mostra a viabilidade e a urgência da abertura do mercado. “A oportunidade de as distribuidoras negociarem com novos supridores possibilita o aumento da competitividade do produto e incentiva investimentos no setor. É evidente que este é um caminho que ainda tem que ser aprimorado e ajustado, mas que não tem volta” 

A Chamada Pública é uma iniciativa das distribuidoras MSGÁS (Companhia de Gás do Estado de Mato Grosso do Sul), GasBrasiliano (Gas Brasiliano Distribuidora), Compagas (Companhia Paranaense de Gás), SCGÁS (Companhia de Gás de Santa Catarina) e SULGÁS (Companhia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul) e tem o objetivo de oferecer mais competitividade aos mercados cativos atendidos. No total, o potencial de contratação a médio prazo supera a marca dos 6 milhões de m³/dia. Juntas, as cinco distribuidoras que integram a CP22 respondem por 15% do mercado de distribuição de gás no Brasil, atendendo mais de 170 mil consumidores. 

Comentários