A prefeitura de Campo Grande e empresários parceiros realizam nesta sexta-feira (20), mais uma edição do projeto Estação Mais Emprego, das 08h às 16h na Plataforma da Estação Ferroviária, onde serão oferecidas por meio da Fundação Social do Trabalho (Funsat), mais de 1 mil oportunidades, com pré-seleção e entrevistas no local do evento. Esta edição contará com apoio do ônibus da City Tour, que sairá da Praça Ary Coelho em direção a Estação Ferroviária em quatro horários, 8h, 10h, 12h, e 14h. O objetivo da ação é aproximar os candidatos dos empresários.

Edição do 'Estação Mais Emprego' acontece hoje na Plataforma da Estação Ferroviária

A Funsat informou que os interessados em uma oportunidade no mercado de trabalho devem levar os documentos pessoais, carteira de trabalho, comprovante de residência e currículo. 

O diretor-presidente da Funsat, Luciano Martins, ressaltou que a iniciativa é mais uma ação do Poder Público municipal que reforça seu compromisso com a população no combate ao desemprego. “Sempre com a parceria das Secretarias e Empresários visando otimizar a oferta e demanda do mercado de trabalho. A ação ‘Estação Mais Emprego’ consolida nosso compromisso com a população e reafirma o empenho na luta contra o desemprego”, frisou.

Na primeira edição, que aconteceu em fevereiro, mais de 1 mil pessoas foram atendidas e, ao menos 700 passaram por entrevista, informou Luciano Martins.

Porque Estação Mais Emprego?

A chegada da Ferrovia Noroeste do Brasil (NOB) a Campo Grande, que ligava Bauru a Corumbá, em 1914, transformou profundamente o destino da cidade morena. Com os trilhos da NOB, vieram o progresso material, novas ideias e pessoas que moldaram a história da capital sul-mato-grossense.

Antes da chegada desse moderno meio de transporte, a então vila de Santo Antônio de Campo Grande não passava de um aglomerado de ranchos e casas rústicas. O vilarejo tinha uma população de no máximo 1500 pessoas, segundo informações do engenheiro militar Themístocles Brasil, que instalou, em 1909, a primeira unidade do Exército no município.

Esses imigrantes, através de suas habilidades, contribuíram para com o progresso de Campo Grande, já que na época havia poucos profissionais qualificados no município: construtores, comerciantes, agricultores, industriais, profissionais liberais entre outras atividades.

Japoneses, italianos, sírio-libaneses, espanhóis, portugueses e tantas outras colônias de imigrantes deixaram sua marca na história de Campo Grande. Em termos gerais, no início do século XX, cada colônia “se especializou” em alguma atividade econômica: os japoneses se tornaram agricultores; os espanhóis, portugueses e italianos foram pioneiros na construção e na indústria; enquanto os sírio-libaneses se dedicaram ao comércio. A ferrovia teve uma importância enorme para o desenvolvimento do Estado.

Comentários