Foto: Asscom PCMS

Mais uma empresa teve as atividades encerradas em Campo Grande por promover a venda ilegal de consórcios e dar golpe nos clientes. A nova operação desencadeada pela força-tarefa que reúne a Delegacia Especializada do Consumidor (Decon), Procon/MS, Creci/MS e Ministério Público do Trabalho (MPT/MS), aconteceu na manhã desta quinta-feira (30). O alvo foi uma loja localizada na Rua Treze de Maio, no centro da cidade.

Empresa no centro da Capital é fechada por venda ilegal de consórciosA empresa em questão já vinha sendo investigada pela Decon por oferecer financiamentos e venda consórcios prometendo ao consumidor que, efetuando o pagamento da entrada, o valor seria liberado em sete dias. O que não ocorria.

No entanto, conforme a investigação, após esse prazo a vítima não conseguia mais falar com o vendedor e sempre era “jogada” para falar com vários funcionários, que não resolviam o problema.

Quando a vítima era muito insistente, os funcionários da empresa à mandavam “procurar os seus direitos”. A empresa trabalhava com o consorcio de outra marca, sendo que nenhuma das duas estavam autorizadas pelo Banco Central do Brasil a comercializarem consórcios.

A Operação, denominada ERRATUM (enganado em latim), constatou a utilização de mão de obra de jovens, inclusive menores, pela falta de experiência. O Creci/MS autuou alguns vendedores pelo exercício irregular da profissão de corretor de imóveis.

O Ministério do Trabalho autuou a empresa, pois nenhum dos vendedores era registrado. O Procon/MS interditou as salas 1703 e 202, da empresa Bank Street Negociações, por não apresentar documentos e alvarás.

Uma vendedora foi conduzida a Decon e foi autuada por desacato. Devido ao grande número de Boletins de Ocorrência, a Especializada irá instaurar Inquérito Policial para apurar o crime de Organização Criminosa. A sede da loja foi lacrada.

Comentários