23/07/2014 09h30

Enersul faz plano de demissão e sindicato ameaça com greve

Por: Rodrigo Bossolani

A Enersul (Empresa Energética de Mato Grosso do Sul), que faz parte do grupo Energisa desde março deste ano, fez um Programa de Desligamento Voluntário e já demitiu aproximadamente 40 funcionários, segundo o Sinergia (Sindicato dos Eletricitários de Mato Grosso do Sul). A entidade ameaça entrar em greve se houver demissão em massa.

A empresa confirmou o plano, mas não revela o número de demissões feitas até agora. No total, a Enersul tem aproximadamente 1.050 trabalhadores no quadro próprio, segundo o sindicato.

A entidade teme que funcionários que não queiram ser demitidos sejam incluídos no plano. “Com a mudança na direção eles fazem esse tipo de procedimento de renovação de pessoal, mas nosso medo é o quem depois, eles podem forçar uma demissão em massa”, disse o presidente do Sinergia, Elvio Marcos Vargas.

Segundo o presidente do Sindicato, se muitos funcionários forem demitidos a categoria entrará em greve imediatamente. “Se houver demissão em massa nós vamos cumprir o que foi acordado na paralisação no ano passado e vamos parar novamente”, disse.

Por meio da assessoria de imprensa, a Enersul informou que o plano é destinado à demissão voluntária, ou seja, para aqueles funcionários que tenham interesse em sair. Quanto ao número de trabalhadores já demitidos, a assessoria disse que não divulgará, pois “se trata de um procedimento interno da empresa”.

Após a paralisação de 48h em dezembro de 2013, a Enersul fechou acordo com os funcionários de reajuste total de 6,58%, além de 10,42% no ticket alimentação, a garantia da participação nos lucros e resultados do exercício 2014 e mais o abono dos dias paralisados na manifestação. Na ocasião, o presidente avaliou como positiva a negociação e já sinalizou que a classe enfrentaria a Energisa que ainda compraria a empresa. O sindicato foi contra a aquisição do Grupo Rede, que inclui a Enersul, pelo grupo Energisa.

Funcionários chegam à Enersul, que desde março tem novo dono. (Foto: Arquivo)

Comentários