Marcelino Nunes de Oliveira

A namorada e um comparsa estão presos na Polícia Civil. Eles são os principais suspeitos do crime. Também a polícia trabalha com a hipótese de participação de uma terceira pessoa.

Populares encontraram na noite desta quarta-feira (29), o corpo do engenheiro agrônomo Ludwig Max Pockel de 48 anos, que estava desaparecido desde a noite do último sábado (25) por volta das oito horas da noite quando foi visto pela última vez pelo filho dele e por outras pessoas antes de desaparecer.

De acordo com o delegado regional de Ponta Porã, Clemir Vieira, a namorada do engenheiro agrônomo e um comparsa, ambos de 34 anos, foram presos na noite de ontem, suspeitos de terem executado a vítima. Há suspeita da participação de uma terceira pessoa no crime.

Ludwig estava com uma moto que foi encontrada ao lado do corpo, em uma plantação de milho, no distrito de Nova Itamarati em Ponta Porã, onde ele tinha um sítio que era arrendado e ele morava em uma casa na propriedade rural.Ele foi assassinado a golpes de faca e depois teve o corpo incendiado com gasolina que foi retirada de sua própria motocicleta, sendo relatos do comparsa.

O crime teria ocorrido após uma discissão. Não há maiores detalhes.

A Polícia Civil e peritos estiveram no local do crime e realizaram os primeiros levantamentos para dar continuidade a investigação.

Comentários