O mundo de ‘vida fácil’ e até crime, começou e pode ter acabado cedo a jovem de 18 anos, estagiário da Caixa Econômica Federal, que foi preso sexta-feira (3), flagrado na pratica de saques com códigos ‘guardados’ de clientes. O nome não foi divulgado pela PF-MS (Polícia Federal em MS), no município de Corumbá, a 414 km de Campo Grande, onde ocorria os roubos qualificado. Segundo a polícia, aós ser pego, o rapaz teria confessado a ação criminosa contra cidadãos corumbaense e contra o sistema financeiro nacional.

O jovem atuava como estagiário em uma agência da Caixa Corumbaense, sendo preso acusado de retirar dinheiro de contas de clientes do banco local, fazendo saques ‘memorizando códigos’. De acordo com a investigação da PF, o crime estaria ocorrendo há, pelo menos, uma semana. E ontem, apesar do ‘pouco tempo’, já ocorreu o flagrante desnudando o ‘esperto’ estagiário. Mas, ele teve azar de já cair cedo, pois alguém descobriu o crime ou por vingança, denunciou a ação criminosa a policia sem se identificar.

Estagiário da Caixa é preso em MS fazendo saques com códigos 'guardados' de clientes
PF apreendeu cartões, dinheiro e celular com suspeito na Cidade Branca – (Foto: divulgação PF-MS)

Assim, conforme a PF, antes do flagrante, se iniciou uma investigação da havida denúncia anônima. Ontem, os agentes confirmaram a veracidade dos fatos, pegando o jovem na pratica do delito. O rapaz passou a noite em uma cela da PF do município e deve prestar depoimento nas próximas horas. A audiência de custódia também deve ocorrer nesta manhã (4).

À polícia, questionado sobre os fatos, o rapaz teria confessado o crime, sendo com ele, apreendidos cartões bancários, um celular e R$ 1.742 em espécie. O suspeito e os objetos foram levados para a sede da PF em Corumbá.

Operações investigadas

Conforme a PF, após denuncia se abriu processo de apuração, onde em um dos casos, os policiais constataram que foi gerado um código para o cliente e, dois minutos depois, houve um saque e se comprovou que teria sido feito por parte do estagiário.

Para se obter mais provas, a PF também conseguiu ‘depoimento’ com uma das vítimas. A pessoa expropriada ilegalmente (roubada), disse que chegou a ir até uma lotérica, porém, retornou ao banco para ver o que tinha acontecido, já que o dinheiro tinha sido retirado da conta.

Posicionamento da Caixa

A Caixa encaminhou nota à redação do EnfoqueMS esclarecendo que eventos criminosos no âmbito de suas unidades são repassadas exclusivamente para as autoridades policiais e que o banco monitora seus produtos e serviços na identificação e investigação de casos suspeitos e na prevenção a fraudes e golpes. Por fim, a Caixa orienta que em caso de cliente não reconhecer alguma transação financeira, o mesmo pode registrar um pedido de contestação em qualquer agência da Caixa.

Leia a nota na íntegra

A CAIXA esclarece que informações sobre eventos criminosos em suas unidades são repassadas exclusivamente às autoridades policiais, e ratifica que coopera integralmente com as investigações dos órgãos competentes.

O banco ressalta que monitora seus produtos e serviços e atua conjuntamente com a Polícia Federal e demais órgãos de segurança pública na identificação e investigação de casos suspeitos e na prevenção a fraudes e golpes.

A CAIXA informa que, caso um cliente não reconheça alguma transação financeira, o mesmo pode registrar um pedido de contestação em qualquer agência da CAIXA”.

*Atualizada às 14h06

Comentários