O presidente do PSL, Luciano Bivar, e o presidente do DEM, ACM Neto (Foto: Arquivo/O Globo)

Em reunião na tarde desta terça-feira (28), a Executiva Nacional do Partido Social Liberal (PSL) autorizou por unanimidade a convocação de uma Convenção Nacional Conjunta do PSL e do Democratas (DEM) para deliberar sobre a fusão entre os dois partidos. O evento acontecerá no dia 6 de outubro, a partir das 9h, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília (DF).

Na prática, a convocação da convenção significa o primeiro grande passo concreto para a fusão. Durante a reunião, serão aprovados os projetos comuns de Estatuto e o programa do novo partido.

Na ocasião serão aprovados os projetos comuns de Estatuto e o programa do novo partido. Também será eleita a Comissão Executiva Nacional Instituidora, órgão nacional que promoverá o registro do novo partido.

A fusão deve ser concluída já no próximo mês e tem o potencial de turbinar o acesso das duas legendas aos fundos públicos que financiam a atividade política. São estimados cerca de R$ 458 milhões com os fundos eleitoral e partidário, a partir da criação de um partido unificado.

Porém o próprio presidente do Democratas, ACM Neto, um dos principais promotores da fusão, admite que haverá desfiliações em um primeiro momento. Ele sustenta que o projeto principal da nova agremiação é o lançamento de candidatura própria à Presidência e a governos estaduais em 2022, além da formação de bancadas numerosas no Legislativo.

Comentários